Fundep

UFMG e Fundep lançam projeto que discute futuros das ciências e tecnologias

Postado em Eventos C,T&I

Evento de lançamento será realizado no próximo dia 14 e vai integrar diferentes áreas de conhecimento com manifestações estéticas e literárias

 

E se imaginássemos os cenários possíveis para 2040, mesmo sabendo que a única certeza sobre o futuro é a incerteza e que tantas previsões anteriores falharam? É com essa proposição que a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), por meio do seu Instituto de Estudos Avançados Transdisciplinares (IEAT), e a Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa (Fundep) lançam o projeto Cenários das Ciências e Tecnologias no Brasil.

A iniciativa objetiva construir, em parceria com a sociedade, quatro cenários plausíveis para as ciências e tecnologias em 2040. A reitora da UFMG, Sandra Regina Goulart Almeida, vê a iniciativa como um grande desafio para a comunidade científica brasileira. “Estamos falando de futuro, e não existe futuro sem ciência e tecnologia de ponta. Nosso sistema de ciência e tecnologia ganhou relevância internacional neste século, mas, infelizmente, vem sendo ameaçado nos últimos anos com sucessivos cortes orçamentários. Daí a importância do projeto Cenários, que põe a ciência no centro da agenda de desenvolvimento do país. Precisamos delinear horizontes para essa área, e isso envolve questões como financiamento, inserção internacional, formação de recursos humanos, entre outras”, propõe a reitora.

O professor Martín Ravetti, diretor da Fundep, explica que a intenção é provocar reflexões “que desafiem nossos paradigmas e transcendam o senso atual de realidade”. À medida que levantamos perspectivas plurais, criamos um ambiente favorável àquilo que queremos construir”, diz.

Para dar início ao projeto e fomentar as discussões, no dia 14 de dezembro, das 16h30 às 18h30, no canal do YouTube da CAC UFMG, será realizado o lançamento do projeto, com uma programação que contempla diferentes narrativas sobre os futuros. Os participantes vão compartilhar seus conhecimentos ligados a tecnologias, consciências, sociedades e relações. Uma performance artística vai explorar manifestações estéticas e literárias sobre o tema. “A arte nos afeta de várias maneiras. Mas uma delas é a educação dos sentidos. Quem aprende a perceber, olhar e escutar seu ambiente criativamente será certamente um agente na transformação de um horizonte mais amplo, fecundo, inventivo e, claro, com muito mais beleza”, ressalta a professora Patricia Franca-Huchet, do IEAT.

A programação contará com a participação da reitora da UFMG, professora Sandra Regina Goulart Almeida; do presidente da Fundep, Jaime Arturo Ramírez; do presidente do IEAT, Estevam Las Casas; do diretor da Fundep, Martín Ravetti; dos membros do IEAT Patricia Franca-Huchet, Maria Fernanda Repolês e Alfredo Gontijo; da egressa da UFMG e fundadora do Instituto Amuta, Marcelle Xavier; do escritor Jacques Fux; e do artista Odilon Esteves. A condução será feita por Thaís Simões, da Fundep; e por Marcelo Cardoso, da consultoria de cenários, Chie.

Clique aqui e faça sua inscrição no evento.

 

Escuta dos futuros possíveis

Para chegar à construção dos futuros possíveis para as ciências e tecnologias em 2040, a metodologia formulada prevê a escuta dos interessados em participar da discussão por meio de um formulário próprio. A ideia é coletar histórias sobre futuros imaginados, apreender como as pessoas narram esses futuros e compreender quais são os elementos principais. Para participar desse momento e escrever suas percepções, acesse aqui.

Na etapa seguinte, serão realizados dois workshops para convidados que trabalharão as incertezas e as essências das narrativas levantadas no formulário. Ao final, toda a trajetória e resultados do projeto darão forma a quatro cenários das ciências e tecnologias no Brasil. “Nossa intenção é compartilhar e provocar uma reflexão com toda a sociedade sobre esses quatro possíveis cenários para a construção de um futuro mais integrado que passe por ciências e tecnologias que façam sentido”, finaliza Ravetti.

Saiba mais sobre a iniciativa aqui.

Skip to content