Fundep

UFMG 95 Anos: conheça 4 projetos da Universidade que, com apoio Fundep, atuam na defesa e promoção da cidadania e da democracia

Postado em Notícias da Fundep
Projetos da UFMG, com apoio Fundep, tem como focos a democracia e a cidadania, além do meio digital. Créditos: UFMG/ Divulgação.

Grupos e projetos de pesquisa e extensão se unem no Programa de Formação Cidadã em Defesa da Democracia da UFMG. Iniciativa foi estimulada pelo Supremo Tribunal Federal (STF). 

 

Grupos e projetos de pesquisa e extensão da Universidade Federal de Minas Gerais, nas mais diversas áreas, estão se engajando no Programa de Formação Cidadã em Defesa da Democracia. O objetivo é permitir ao cidadão informar-se, de maneira adequada, sobre as instâncias democráticas, defendendo-as dos ataques crescentes.

A iniciativa da UFMG foi estimulada por convite do Supremo Tribunal Federal (STF), que reúne parceiros para desenvolver o seu Programa de Combate à Desinformação. O STF trabalha para disseminar informações sobre sua finalidade, seu funcionamento e a atuação dos seus ministros.

O programa foi lançado na UFMG na primeira semana do mês, dentro das comemorações dos 95 anos. Conduzido pela reitora Sandra Regina Goulart Almeida, a cerimônia de lançamento teve a participação, por meio de mensagem gravada em vídeo, do ministro Luiz Fux, presidente do STF.

De acordo com Fux, o programa do Supremo já conta com mais de 40 parceiros, a maioria deles universidades estaduais e federais. O objetivo, segundo ele, é difundir informações corretas para “fazer frente à enxurrada de notícias falsas que circulam sobre a atuação do STF”.

A lista dos projetos integrantes dos Programa pode ser conferida aqui. Alguns deles contam com o apoio Fundep em sua execução. Confira:

 

OBSERVATÓRIO DA DEMOCRACIA BRASILEIRA (DEMOS)

O Demos é um observatório idealizado por acadêmicos de diferentes instituições e distintos objetos de pesquisa que promovem, conjuntamente, o monitoramento ativo do processo eleitoral brasileiro em 2022. A análise pretendida busca enfatizar pesquisas já desenvolvidas por cada um dos integrantes, associando-as ao monitoramento do processo eleitoral, como defesa democrática.

De acordo com o professor Emílio Peluso, “trata-se de um projeto acadêmico, mas com um braço de extensão que busca realizar denúncias às instâncias apropriadas para verificar a legitimidade dos ataques ao processo eleitoral brasileiro”.

 

DIGITALCONST

O DigitalConst é um projeto sobre constitucionalismo digital, desenvolvido na Faculdade de Direito da UFMG, que visa discutir a necessidade da regulação da forma como funcionam as mídias sociais, pelo Direito e pelas Constituições, com foco na relação com benefícios e danos ao sistema democrático.

O projeto é estimulado, principalmente, pela investigação do mal-uso das plataformas digitais, que pode levar à disseminação de fake news, propagação de discursos de ódio, danos à imagem ou danos físicos aos indivíduos, entre outros. O objetivo do projeto, que tem vertentes de pesquisa e extensão, é coletar insumos para a discussão sobre como proceder a regulação jurídica desse ambiente.

ELEIÇÕES SEM FAKE

Projeto do Departamento de Ciência da Computação do Instituto de Ciências Exatas (DCC/Icex) atua, desde a eleição de 2018, desenvolvendo soluções para trazer transparência para o espaço midiático, onde atuam campanhas de desinformação.

O grupo criou uma série de soluções tecnológicas, implementadas através de sistemas Web, que visam dar transparência para as diversas formas de campanha eleitoral em plataformas digitais, muitas vezes ajudando a expor e mitigar campanhas de desinformação.

Um dos sistemas mais relevantes do Eleições sem Fake monitora centenas de grupos públicos no Whatsapp, todos relacionados à política. O sistema foi utilizado por mais de 250 jornalistas e por equipes relevantes de checagem de fatos nacionais.

 

OBSERVATÓRIO DAS ELEIÇÕES E DA DEMOCRACIA 2022

O Observatório das Eleições 2022 é uma iniciativa do Instituto da Democracia e da Democratização da Comunicação (INCT IDDC). A iniciativa reúne especialistas de diversas áreas e disponibiliza informações sobre as eleições em vários formatos. O Observatório existe desde 2018 e, em 2022, trará, em primeira mão, resultados das pesquisas inéditas do projeto A Cara da Democracia no Brasil.

Além disso, o Observatório conduz um levantamento de dados com foco em monitorar, de forma independente, o papel das redes sociais e do sistema de justiça no resultado das eleições.

 

BICENTENÁRIO DA INDEPENDÊNCIA

A democracia é um marco importante da história do Brasil, bem como a independência do país que, nessa semana, completa seu bicentenário. Na mesma data, a Universidade Federal de Minas Gerais completa seus 95 anos.

Sobre as comemorações, a reitora Sandra Regina Goulart afirmou “o desejo da criação de uma Universidade em solo mineiro vem desde a época dos inconfidentes, que tinham esse sonho que só veio a se concretizar em 1927, com a criação da Universidade de Minas Gerais, e mais tarde a Universidade Federal de Minas Gerais. A UFMG traz consigo também a inspiração de seus fundadores que criaram o lema que está escrito no brasão da UFMG incipit vita nova, que quer dizer “uma vida nova se inicia” e isso é o ethos da nossa instituição, que todo ano se renova”.

 

Com Centro de Comunicação da UFMG

Skip to content