Fundep

Rota Tech 2030: Lançamento de editais, apresentação de tecnologias e rodadas de negócio marcam evento sobre o Rota 2030 na Fundep

Postado em Notícias da Fundep
Rota Tech 2030
Presidente Jaime Ramírez: Fundep cumpre missão de conectar atores da cadeia automotiva. Créditos: Rota 2030/ Fundep.

Evento, em São Bernardo do Campo (SP), teve exposição de projetos, palestras, painéis técnicos e lançamento de novas iniciativas. Editais lançados no Rota Tech 2030 somam R$ 28 milhões para investimentos em PD&I.

 

Mais de 250 representantes do ecossistema automotivo e da mobilidade participaram, nas últimas quarta (9) e quinta-feira (10), do Rota Tech 2030 – Amostra Tecnológica do programa Rota 2030, no Centro Universitário da FEI, em São Bernardo do Campo (SP). O evento, organizado pela Fundação de Apoio da UFMG (Fundep), teve 27 palestras e painéis técnicos, com mais de 50 especialistas do setor, e a exposição de 22 projetos de PD&I desenvolvidos por meio do programa Rota 2030. Novas inciativas também foram lançadas, visando contribuir com o desenvolvimento tecnológico da cadeia automotiva.

O foco do evento foram as linhas do Rota 2030 coordenadas pela Fundep: Linha IV – Ferramentarias Brasileiras Mais Competitivas; Linha V – Biocombustíveis, Segurança Veicular e Propulsão Alternativa à Combustão; e Linha VI – Conectividade Veicular. O objetivo foi compartilhar resultados alcançados até agora e oferecer espaço para troca de experiências e provocações capazes de fomentar a evolução tecnológica do setor automotivo.

 

Diálogo e conexões

A abertura oficial do evento teve a participação do presidente da Fundep, professor Jaime Arturo Ramírez, e do reitor do Centro Universitário da FEI, professor Gustavo Donato.

Para o presidente da Fundep, a instituição vem cumprindo a sua missão de conectar diversos atores da cadeia automotiva, como indústrias, Instituições de Ciência e Tecnologia (ICTs), startups, entre outros, com o objetivo de contribuir para a solução de desafios destacados pela sociedade. Segundo o professor Jaime Ramírez, “o programa Rota 2030 é um case de sucesso e deve servir de inspiração para os demais setores da nossa comunidade”.

O painel principal do evento teve como tema os avanços do programa Rota 2030 e as perspectivas para o setor automotivo. Mediado pela gestora de programas da Fundep, Ana Eliza Braga, contou com a participação de Henry Joseph, da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Gábor Deák, do Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores (Sindipeças), Leonardo Amaral, da Associação Brasileira Engenharia Automotiva (AEA), e Christian Dihlmann, da Associação Brasileira da Indústria de Ferramentais (Abinfer).

Representantes do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), da Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii) e da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), instituições coordenadoras de outras linhas do programa Rota 2030, também estiveram presentes ao evento.

A programação do Rota Tech 2030 foi organizada em três trilhas de conteúdo: Ferramental, Mobilidade e Conectividade. Ao todo, 27 painéis e palestras técnicas abordaram importantes temas do setor automotivo, como descarbonização, utilização de biocombustíveis, indústria 4.0, conectividade e trafego urbano, cidades inteligentes, desafios tecnológicos de ferramentarias e outros relacionados ao setor.

 

Rota TECH 2030: Fundep como elo de conexão

Foram apresentados ainda 22 projetos de PD&I em execução pelas linhas IV – Ferramentarias Brasileiras Mais Competitivas e V – Biocombustíveis, Segurança Veicular e Propulsão Alternativa à Combustão, do programa Rota 2030.

Pela linha IV, foi possível conferir os resultados dos projetos consorciados Demonstrador de Estampagem de Superfícies Classe A (DemestaA), Modelagem e Identificação de Defeitos em Superfícies Classe A e Estruturas Estampadas (Miscae) e Demonstrador de Estampagem de Painel Estrutural – Coluna B (DecolaB), executados pelo Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA) e Fundação Getúlio Vargas (FGV).

O objetivo é a construção de demonstradores do processo de estampagem de superfícies automotivas classe “A” e de painéis estruturais “coluna b”, que sejam representativos da capacidade industrial do setor brasileiro de ferramentarias e que possam ser utilizados como referência para mapear o processo de construção do ferramental de estampagem.

 

Veículo utiliza sensor radar para detectar motocicletas em ponto cego. Créditos: Rota 2030/ Fundep.

 

Ao todo, os projetos possuem a participação de mais de 23 empresas, entre montadoras, sistemistas, autopeças e ferramentarias.

Pela linha V, um dos projetos apresentados foi o Detecção de motocicletas no ponto cego do veículo utilizando sensor radar, desenvolvido pelo Centro Universitário Facens, em parceria com o Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA) – apoiado Fundep, a Technische Hochschule Ingolstadt (THI) e as empresas Stellantis e Bosch.

Outro veículo em demonstração foi um caminhão do projeto Desenvolvimento de Sistema de Segurança para Veículo Autônomo em Aplicação Agrícola, desenvolvido pela Universidade Federal do ABC (UFABC), em parceria com a Universidade de São Paulo (USP) e as empresas Mercedes-Benz, Bosch e Grunner Tecnologia Agrícola. O projeto busca elevar a automação do caminhão comercial para uso agrícola, com o objetivo de aumentar a segurança de operação do equipamento e ampliar a competitividade.

 

Projeto testa segurança para veículo autônomo em aplicação agrícola. Créditos: Rota 2030/ Fundep.

 

Clique aqui e confira todos os projetos apresentados.

 

Lançamentos de iniciativas

Além de apresentar resultados e discutir as perspectivas para os próximos ciclos do Rota 2030, o evento promoveu o lançamento de novas iniciativas com o objetivo de contribuir ainda mais com o desenvolvimento tecnológico do setor automotivo. Confira abaixo:

 

Chamada de PD&I da linha de conectividade veicular

Gerar conexões transformadoras capazes de oferecer soluções de inovação aberta impactantes de curto e médio prazo na indústria automotiva é o objetivo da primeira chamada de PD&I da linha VI. Com foco em conectividade veicular, a linha irá investir até R$ 15 milhões em projetos desenvolvidos por indústrias do setor automotivo, Institutos de Ciência e Tecnologia e startups.

Os detalhes foram apresentados pelo coordenador de programas da Fundep, Raylson Martins, e pelo professor do Departamento de Ciência da Computação da UFMG e coordenador técnico da linha VI do Rota 2030, Heitor Ramos.

A seleção de projetos será para as linhas temáticas de Conectividade dos veículos com o ambiente externo, Tecnologia da Privacidade e Segurança de Dados e Serviços, Diagnóstico e Manutenção Preditiva de Veículos.

O edital da chamada está disponível pelo site: https://rota2030.fundep.ufmg.br/

 

O coordenador de programas da Fundep, Raylson Martins, apresenta primeiras iniciativas da linha VI. Créditos: Rota 2030/ Fundep.

 

Programa de Aprendizado Federado

Ainda no âmbito da linha VI, com foco na conectividade veicular, o professor da Escola de Engenharia da UFMG e coordenador técnico da Linha de Conectividade Veicular do Rota 2030, Frederico Guimarães, apresentou o Programa de Aprendizado Federado, um ambiente capaz de viabilizar aplicações avançadas de aprendizado de máquinas (machine learning) com veículos conectados de maneira a fazer melhor uso dos dados coletados.

 

Lançamento da Chamada de PD&I Intec+

Por sua vez, pela linha V – Biocombustíveis, Segurança Veicular e Propulsão Alternativa à Combustão, ocorreu o lançamento de um novo formato da chamada de PD&I Intec+. Serão aportados até R$ 12 milhões em projetos de PD&I desenvolvidos por empresas, startups ou Institutos de Ciência e Tecnologia (ICTs) capazes de contribuir para o setor automotivo. Trata-se de um novo formato de chamada pública que irá direcionar esforços para a solução de demandas específicas da cadeia automotiva nas áreas de bicombustíveis, segurança e propulsão veicular.

O edital da chamada está aberto para consulta pública com o objetivo de coletar a percepção dos proponentes e demais participantes a respeito das melhorias e novos objetivos do modelo para que seja possível aprimorar o documento e obter sucesso nos objetivos propostos.

A nova chamada foi apresentada pela analista de projetos da Fundep Ana Luísa Lage e pelo professor da Unicamp, Tarcio André Barros (coordenador técnico da linha V do Rota 2030). O lançamento também teve a presença da co-fundadora da HION Tecnologia, Cynthia Thamires da Silva, que compartilhou sobre a experiência de ter um projeto em desenvolvimento por meio da primeira edição da chamada Intec +.

Clique aqui e acesse a consulta pública.

 

Plataforma Rota In Curso

Entre as novidades divulgadas no evento, a Fundep irá auxiliar na solução de problemas de eficiência e organização que impactam a competitividade das empresas. O Rota In Curso é uma plataforma com mais de 50 cursos, em parceria com reconhecidas instituições de ensino, para capacitar empresários e colaboradores de ferramentarias.

O foco será melhorar a gestão, otimizar processos produtivos e gerar resultados mais efetivos para as indústrias. Os cursos são totalmente gratuitos para as ferramentarias que participam das iniciativas da linha IV – Ferramentarias Brasileiras Mais Competitivas.

Para o lançamento da plataforma, foi realizado um painel sobre os desafios da capacitação técnica de profissionais para o setor ferramental. O envolvimento das ferramentarias no Rota 2030 geram créditos na plataforma Rota In Curso, que podem ser trocados por vagas em cursos em diversas modalidades (presencial, semipresencial, EAD e EAD auto instrucional). Quanto mais envolvimento nas iniciativas do Rota 2030, mais créditos são gerados para capacitar os profissionais.

Acesse e conheça o Rota In Curso.

 

Evento marca lançamento de iniciativas das linhas do Rota 2030 coordenadas pela Fundep. Créditos: Rota 2030/ Fundep.

 

Lançamento da 2ª Edição do Rota Challenge

Durante o Rota Tech 2030, também foi confirmado o lançamento da 2ª edição do Rota Challenge. O Rota Challenge é uma ação para conectar ferramentarias com startups capazes de solucionar desafios tecnológicos do setor. Buscando promover um ambiente de inovação e a otimização de processos produtivos para o aumento da competitividade, na 2ª edição serão investidos até R$ 600 mil para a execução de provas de conceitos (POCs).

Skip to content