Fundep

Fundep em rede: projetos proporcionam integração com diferentes elos da sociedade

Postado em Eventos C,T&I
Fundep realiza importante trabalho de conectar diferentes atores do ecossistema de inovação. Foto: Shutterstock.

2021 foi um ano marcante para a Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa (Fundep) com avanços constantes em projetos que transformam conhecimento em benefícios para a sociedade. Em destaque, três iniciativas que fortalecem a conexão entre a academia, o governo, a iniciativa privada e a sociedade civil: o Verde | Hub de Inovação em Energia Limpa e Renovável, o Projeto Brumadinho e a Plataforma Nacional de Mobilidade Elétrica (PNME).

Verde  

Em outubro, a Fundep lançou o Verde | Hub de Inovação em Energia Limpa e Renovável, o primeiro hub de pesquisa, desenvolvimento, inovação e negócios centrado em energia verde do Brasil. Coordenado pela Fundep e pela UFMG, em parceria com empresas madrinhas e apoio institucional de agências dos governos estadual e federal, o hub será sediado no Parque Tecnológico de Belo Horizonte (BH-Tec).

A iniciativa tem o objetivo de liderar a transição energética do país, conectando atores da quíntupla hélice – universidade, iniciativa privada, governo, sociedade civil e o próprio meio ambiente – ao ecossistema de energia verde em busca de soluções energéticas sustentáveis.

O Verde, que vai operar em ciclos de 24 meses a partir de fevereiro de 2022, está aberto à adesão de empresas madrinhas que irão proporcionar aportes pra investir em pesquisa, desenvolvimento de tecnologias, infraestrutura laboratorial e desenvolvimento de soluções customizadas. As organizações poderão também apresentar seus desafios tecnológicos e buscar soluções por meio de conexões no ecossistema de inovação nacional.

“A ideia central é criar uma comunidade que facilite o desenvolvimento tecnológico e ao mesmo tempo otimize o acesso aos centros de pesquisa e tecnologia existentes. Queremos criar uma rede que ligue esses atores, mostrando como podem cooperar e potencializar o avanço tecnológico, de alto impacto com inovação aberta”, afirma Janayna Bhering, gestora de Negócios e Parcerias da Fundep.

A mudança climática e a crise energética em curso enfrentada por países em todo o mundo são um alerta para a necessidade urgente de soluções de energias limpas, confiáveis ​​e acessíveis. O Verde ocupará uma posição de vanguarda, com foco em impulsionar a transição energética do Brasil saindo dos combustíveis fósseis para uma matriz energética verde.

Esse esforço está de acordo com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU. O sétimo objetivo é “garantir o acesso a fontes de energia fiáveis, sustentáveis e modernas para todos”. A discussão sobre o atual uso de fontes de energia não renováveis ​​também esteve na vanguarda do ‘Dia da Energia’ da COP26. O presidente da conferência do clima, Alok Sharma, anunciou a nova Declaração Global de Transição para Energia Limpa, dizendo ao plenário que “o mundo precisa de uma ação urgente sobre a energia – particularmente um abandono global do carvão – para manter o limite de 1,5 graus de aumento de temperatura e garantir o acesso à energia limpa, acessível e confiável para todos”.

O compromisso de acabar com os investimentos em carvão, eliminando seu uso até 2030 nas principais economias mundiais foi ecoado nas ruas com manifestantes pedindo justiça climática e exigindo o fim dos combustíveis fósseis. “A hora é agora, não dá pra fechar os olhos. Todas as nossas ações, todas as instituições nas quais atuamos, têm impacto em nosso planeta. Devemos enxergar o momento como uma oportunidade para agir”, completa Janayna Bhering.

Empresas interessadas em aderir ao projeto podem acessar a página do Verde para obter mais informações.

Vista superior do CAD III da UFMG, com destaque para os painéis solares instalados, parte do Projeto Oásis.
PNME – Plataforma Nacional de Mobilidade Elétrica 

Outro braço de atuação da Fundep para promover inovação no setor de energia acontece por meio da PNME – Plataforma Nacional de Mobilidade Elétrica que agrega mais de 30 instituições entre representantes do Governo, da Indústria, da Academia e da Sociedade Civil, em um espaço de articulação visando o desenvolvimento sustentável do setor de mobilidade elétrica brasileiro.

Participando da PNME desde seu nascimento, em 2020, a Fundep exerce o papel de Cossecretária da plataforma, além de atuar na Comissão de Ciência e Tecnologia (CC&T) da Plataforma, juntamente com a Cooperação Brasil-Alemanha para o Desenvolvimento Sustentável, por meio da Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) GmbH, e o Instituto Clima e Sociedade (iCS). Os atores são responsáveis por gerir a plataforma, organizar atividades e orientar tecnicamente o Conselho Gestor, para garantir que os esforços de P&D estejam alinhados.

A Fundep segue ampliando sua atuação junto à PNME, juntando-se também ao Grupo de Trabalho de Infraestrutura e Conectividade. Segundo Janayna Bhering, “a Fundep funciona como um agente de interlocução, mapeando e traduzindo demandas de desenvolvimento e soluções tecnológicas. O objetivo é auxiliar na construção de alianças, mapeando demandas e oportunidades para criar planos de ação abrangendo uma visão de múltiplos atores”.

Em 2021, o foco foi promover a aproximação entre academia e setor produtivo, um esforço ilustrado no projeto Trilha da Inovação, que promoveu a comunicação entre os setores de forma prática através de três eventos que aconteceram ao longo do ano. Em junho, o Science Day foi voltado para pesquisadores. Em julho, o workshop “Priorização de Desafios Tecnológicos para a Indústria de Mobilidade Elétrica” teve foco nos profissionais da indústria. Em setembro, profissionais da pesquisa, ciência, inovação e indústria ligados à mobilidade elétrica se encontraram no “MeetUp PNME – Conexões Ciência & Indústria”.

A Fundep e a PNME também produziram um ciclo de webinários reunindo nomes relevantes da pesquisa em mobilidade elétrica no Brasil em temas como mobilidade elétrica e saúde, mobilidade elétrica e meio ambiente, e baterias. Em outubro, foi a vez do Ampère: Ecossistema de Mobilidade Elétrica no Brasil, um dos maiores eventos de mobilidade elétrica e de energias renováveis do país, que contou com a parceria da Fundep e da PNME, na programação técnica e on-line do evento.

Webinar PNME e Fundep.

 

Projeto Brumadinho

O ano de 2021 serviu, também, para consolidar a atuação da Fundep no apoio ao Projeto Brumadinho-UFMG, em especial com o funcionamento do complexo de laboratórios criado para sediar análises de materiais relacionados ao rompimento da barragem Mina Córrego do Feijão, da Vale, em janeiro de 2019. Os estudos e pesquisas realizadas no complexo (instalado no Departamento de Química da UFMG, com recursos oriundos de garantias judiciais) servem ao Juízo da 2ª Vara da Fazenda Pública da Comarca de Belo Horizonte, que está à frente do processo movido contra a Vale. 

Como parceira do Projeto Brumadinho-UFMG, a Fundep realiza atividades que englobam toda a gestão do projeto, desde compras e logística até o monitoramento da execução dos 67 subprojetos que buscam identificar e avaliar as necessidades emergenciais das populações atingidas pelo desastre.

“A Fundep tem o objetivo de abordar o desastre de forma ampla, viabilizando pesquisas que sejam realizadas para atender a sociedade como um todo, não só quem foi diretamente atingido pelo desastre”, salienta o coordenador do time que atende os projetos de Brumadinho, Thiago Mariano.

Neste ano, o projeto também foi tema de matéria para newsletter internacional da Fundep, trazendo o apoio à comunidade de Brumadinho após o trauma sofrido pelo rompimento da barragem. Confira o conteúdo aqui.

Skip to content