Fundep

Com apoio Fundep, UFMG e Fundação Rodrigo Mello Franco iniciam projeto de restauração no Museu Casa Padre Toledo

Postado em Cultura
Fonte: Museu Casa Padre Toledo (MCPT)/ Divulgação.

Projeto de restauro é resultado de pesquisas realizadas no passado e obras têm previsão de finalização em setembro de 2022. 

Processo de restauração das pinturas decorativas da Sala do Torreão do Museu Casa Padre Toledo (MCPT) foi iniciado em janeiro. Após identificação da composição original das pinturas, consideradas raras como referência de ornamentação em edificações civis, as atividades seguem com o restauro das pinturas da Sala. Concomitantemente, serão realizadas ações educativas e formativas, com produção de recursos audiovisuais que integrarão uma exposição de longa duração, como forma de valorização do patrimônio arquitetônico e artístico.

Localizado na cidade de Tiradentes, o prédio foi construído na segunda metade do século XVIII, sendo utilizado como residência do Padre Carlos Correia de Toledo e Melo, participante ativo da Inconfidência Mineira. Em 1971, o edifício foi transformado em museu, integrando, atualmente, o Campus Cultural UFMG, vinculado à Diretoria de Ação Cultural da Universidade (DAC/UFMG).

Viabilizado com recursos advindos de emenda parlamentar, o projeto, intitulado “Restauração dos elementos artísticos integrados do MCPT”, gerido pela Fundep, tem o objetivo de revelar ao público a beleza das pinturas decorativas da Sala do Torreão, mapeadas entre 2011 e 2012, a partir de estudos conduzidos durante a última restauração do edifício.

“A partir dos estudos realizados no passado, foi possível identificar a composição ornamental original, caracterizada como um trabalho do período rococó em Minas Gerais, bem como mensurar a porcentagem de vestígios remanescentes da pintura. Trata-se de uma imitação de tecido de seda lavrada, influência do rococó francês”, comenta a coordenadora do projeto, Verona Segantini.

Atual diretora do Campus Cultural UFMG em Tiradentes e presidente da Fundação Rodrigo Mello Franco de Andrade (FRMFA), Verona explica que as pinturas apresentam características excepcionais e são consideradas raras referências de ornamentação em edificações civis do período colonial.

Processo de restauração das pinturas envolve equipe de especialistas. Créditos: Acervo do MCPT/ Divulgação.

A previsão é que os trabalhos sejam concluídos em setembro deste ano, após diversas etapas conduzidas pelo restaurador André Luis de Andrade, graduado em Conservação-Restauração de Bens Culturais pela UFMG e mestrando em preservação do patrimônio cultural pelo Centro Lúcio Costa do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (CLC/IPHAN). Ao todo, 11 pessoas estão envolvidas no projeto, que é realizado simultaneamente em Tiradentes e Belo Horizonte. “Nosso objetivo é que o processo de restauração dos elementos artísticos integrados seja também catalisador da produção de conhecimento no campo das ciências do patrimônio e áreas correlatas, como história da arte, arquitetura, história, museologia, entre outros”, afirma André Luis.

Concomitantemente à restauração, serão realizadas ações educativas e formativas, assim como a produção de recursos audiovisuais que integrarão a exposição de longa duração do Museu. Ao longo dos oito meses estimados de intervenção também estão previstas visitas técnicas para acompanhamento dos processos e ações de divulgação e interlocução com os diferentes públicos que visitam o local.

A Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa (Fundep) realiza a gestão dos recursos do projeto, além de apoiar na estruturação da Fundação Rodrigo Mello Franco de Andrade, como fundação de apoio à Cultura da UFMG. De acordo com Maria Gabriela de Cássia Miranda, analista Fundep que acompanha o projeto, pela gestão dos recursos do projeto a Fundação viabiliza a valorização do patrimônio arquitetônico e artístico do Museu Museu Casa Padre Toledo.

“Trabalhar em um projeto que possibilita fortalecer e disseminar a história e cultura do nosso país é um privilégio, pois estamos trabalhando para que todos, em especial, as gerações futuras, tenham contato com as riquezas dos artistas que vivem e viveram aqui”, complementa Maria Gabriela.

 

O Museu 

O Museu Casa Padre Toledo é um importante espaço de difusão da história de Minas Gerais e da Inconfidência Mineira. Constituído por uma estrutura principal com onze salas e um torreão, o museu reúne um rico conjunto de forros pintados. Desde sua criação, tem como principal missão a preservação do patrimônio histórico, artístico e cultural referenciado nas suas singularidades arquitetônicas, que incluem emprego de diferentes técnicas construtivas, como o pau-a-pique, adobe e moledo, além de elementos artísticos integrados. Cerca de 30 mil pessoas visitaram o museu anualmente, antes da pandemia.

Em 1952, antes mesmo de se tornar museu, a antiga Casa do Padre Toledo teve sua representatividade arquitetônica, histórica e artística reconhecida, quando recebeu tombamento individual pelo Iphan e foi inserido no Livro do Tombo das Belas Artes, do Iphan, que reúne inscrições dos bens culturais em função do valor artístico.

 

Com Assessoria do Campus Cultural UFMG Tiradentes.

Skip to content