Fundep

UFMG, Fundep e Prefeitura firmam parceria para formação continuada de professores da rede municipal

Postado em Projetos
Encontro no gabinete da reitora reuniu o presidente da Fundep, dirigentes da UFMG e da Secretaria Municipal de Educação

Com informações do site da UFMG

A UFMG, Fundep e a Prefeitura de Belo Horizonte vão desenvolver, nos próximos 30 meses, um extenso programa de formação continuada de professores da rede municipal de educação. A parceria foi formalizada por meio de contrato de prestação de serviços técnicos especializados assinado no dia 21 de junho de 2018, pela reitora professora Sandra Goulart Almeida, pela secretária municipal de Educação, Ângela Dalben, e pelo presidente da Fundep, professor Alfredo Gontijo de Oliveira. A Fundação realizará a gestão do projeto.

O encontro também reuniu, no gabinete da Reitoria, professores de unidades da UFMG envolvidas na formação – como o Centro Pedagógico e Faculdade de Educação – e integrantes da equipe de gestores da Secretaria Municipal de Educação. A reitora Sandra Goulart Almeida comemorou mais uma parceria firmada com a prefeitura da capital. “A UFMG está à disposição da cidade, principalmente em relação ao aprimoramento da educação básica. Nossas pró-reitorias de Graduação e Extensão mantêm, inclusive, ações integradas nessa área”, declarou a reitora.

A secretária Ângela Dalben, que já foi pró-reitora de Extensão e diretora da Faculdade de Educação da UFMG, também comemorou a parceria, que vinha sendo costurada há cerca de um ano. “Trata-se de um grande projeto construído pela Prefeitura. Buscamos a excelência da UFMG para executá-lo”, afirmou.

Um dos carros-chefes do programa é o curso de especialização lato sensu em educação básica (Laseb), criado em 2006 e que capacitou cerca de 1.200 professores até 2015, quando foi interrompido. A especialização volta a ser ofertada agora com escopo ampliado, informou a sua coordenadora, professora Vanessa Tomaz, da Faculdade de Educação. “Retomamos com sete áreas de formação”, informa. São elas: educação inclusiva; alfabetização e letramento; processos de ensino e aprendizagem; educação básica; educação infantil, educação, intersetorialidade e diversidade; educação de jovens e adultos.

De acordo a professora Vanessa, 89 professores de três departamentos da Faculdade de Educação e até de outras universidades brasileiras estão envolvidos com a oferta de capacitação, que deverá abrir 280 vagas já no segundo semestre.

Outro destaque do programa é a especialização em residência docente, que será oferecida no Centro Pedagógico inicialmente a 80 docentes da rede municipal. Segundo o diretor do CP, Santer Matos, os professores vão mergulhar no cotidiano da Unidade, participando de reuniões de trabalho e da própria experiência educacional que a comunidade do CP desenvolve em sala de aula. Ao fim, vão elaborar projetos baseados em suas vivências para implantá-los em sua escola.

Oficinas, seminários e congresso

Além das pós-graduações em docência na educação básica e em residência docente, a formação prevê um curso de pós-graduação lato sensu em tecnologias digitais e educação, também ofertado pelo CP, cursos de formação continuada em português instrumental, matemática e leitura, a cargo do Centro de Alfabetização, Leitura e Escrita (Ceale) da FaE, seminários técnicos de imersão, oficinas de formação e a realização de um congresso municipal de práticas educacionais.

O programa oferecerá, em todas as suas sete frentes de formação, mais de 12 mil vagas, beneficiando cerca de 4,7 mil professores. O investimento da Prefeitura chegará a R$ 7,8 milhões. As atividades deverão começar no segundo semestre tão logo seja concluído o processo de preenchimento das vagas por meio de edital.