Fundep

Para as grávidas de plantão – app Meu Pré-Natal

Postado em Projetos

Exame de gravidez positivo. Automaticamente, mil dúvidas surgem na cabeça dos papais, mesmo que eles nem sejam de primeira viagem, afinal, cada experiência é única. Com o objetivo de auxiliá-los ao longo de todo o período gestacional e também após o nascimento do bebê, pesquisadores da Faculdade de Medicina da UFMG planejaram e desenvolveram o aplicativo para dispositivos móveis “Meu Pré-Natal”.

Coordenado pela professora do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia Zilma Reis, o projeto disponibiliza informações, orientações, divulga as melhores práticas de assistência à gestação e, também, tem o objetivo científico de testar a troca de informações sobre saúde entre sistemas eletrônicos.

A professora conta que a ideia da ferramenta surgiu a partir das demandas vivenciadas durante o atendimento pré-natal e da dificuldade de, muitas vezes, conversar em uma linguagem que as futuras mães consigam entender. “O aplicativo tem um enfoque educacional, voltado para o casal grávido, principalmente à gestante, procurando apoiar com informações adequadas a toda trajetória da gravidez até o pós-parto”, pontua a coordenadora, que destaca: “de forma alguma o aplicativo substitui a orientação do profissional de saúde, pelo contrário, ele valoriza o cuidado pré-natal nas unidades de saúde”.

Principais funcionalidades

“Deve-se continuar tomando remédio agora que está grávida? Qual a hora de começar a fazer o pré-natal?” O aplicativo esclarece essas e outras principais dúvidas dos pais. No programa, cada momento da gravidez é abordado de forma objetiva, em ordem cronológica, no formato de perguntas e respostas com conteúdos relevantes em textos e audiovisuais para a gestante se manter bem orientada sobre os cuidados e as transformações em seu corpo.

O aplicativo oferece, também, o gestograma: um calendário gestacional que os profissionais de saúde utilizam para determinar a data prevista para o parto, baseado na última menstruação e nas informações disponibilizadas pelo ultrassom. Dentro do menu, há orientações e informações do plano de parto recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), e um álbum de fotos organizado em uma espécie de linha do tempo da gestação.

Há, ainda, um contador de contrações que auxilia a mulher saber a hora de ir para o hospital. ?Isso ajuda muito na prática, pois, por mais que a orientamos a acompanhar pelo relógio, na hora da dor é difícil ter essa concentração?, afirma Zilma. Quando o bebê nasce, seus dados e fotos podem ser registrados no aplicativo e compartilhados com amigos e familiares pelas redes sociais.

“Todo o conteúdo do programa se apoia nas melhores evidências científicas. Esse é o diferencial em relação aos outros aplicativos”, destaca Zilma.

O aplicativo Meu Pré-Natal é compatível com os sistemas Android e iOS e está disponível para download gratuito na Apple Store e na Google Play.

Realização

A iniciativa contou com o recurso do projeto de pesquisa chamado Skin Age, desenvolvido na UFMG, com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig), Fundação Bill & Melinda Gates, Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), CNPq e o Departamento de Ciência e Tecnologia (Decit/SCTIE/MS), por meio dos editais do Programa Pesquisa para o SUS (PPSUS) Redes 2013.

A Fundep foi parceira no projeto. ?Realizamos a gestão administrativo-financeira da iniciativa, que demandou ações de compras, importação, pagamentos de prestadores de serviços, entre outras atividades?, conta a analista de projetos da Fundep, Flávia Paes. Segundo ela, a forma de gestão deste projeto foi diferenciada: ?Por se tratar de um produto inovador, trabalhamos com toda atenção para preservar o sigilo da ideia?.

Clique aqui e leia a matéria completa.

Fonte: com informações do site da Fapemig