Fundep

Rota 2030: Fundep lança nova Chamada Pública da Linha V

Postado em Rota2030

A Fundep lançou hoje, durante a  Live da Associação Brasileira de Engenharia Automotiva (AEA), a Chamada Pública 02/2020 da Linha V – Biocombustíveis, Segurança Veicular e Propulsão Alternativa à Combustão, do Programa Rota 2030. A iniciativa irá aportar até R$ 1 milhão por projeto de Instituições de Ciência e Tecnologia (ICTs) em parceria com empresas e startups de todo o Brasil. O prazo de submissão de propostas termina em sete de janeiro de 2021 (07/01/2021).

A chamada pública está dividida em três Eixos: (i) BIOET: Bioenergia Eficiente Aplicada ao Setor dos Transportes; (ii) – CONSEV: Condução Segura e Eficiente de Veículos; (iii) – PAC: Propulsão Alternativa à Combustão. Cada Eixo possui linhas temáticas específicas.

Confira o vídeo com todos os detalhes da nova chamada:

Confira as informações da Chamada

Melhorias na chamada

De acordo com o coordenador de programas da Fundep, Raylson Martins, a nova chamada possui uma série de melhorias. “Trouxemos alguns aperfeiçoamentos nesta chamada. Estamos com um sistema de submissão novo, muito mais intuitivo e claro. Será mais fácil submeter propostas. Também alteramos o formato do parecer técnico, que agora será mais detalhado e os proponentes vão saber cada ponto avaliado nas propostas submetidas”, destaca.

Além das melhorias no processo, Raylson também enfatiza as alterações nos documentos da chamada. “Houve uma redução nos anexos, bem como uma mudança no Cronograma de Atividades e na Planilha Orçamentária. Nessa chamada, o Coordenador Associado também não precisará mais ser ligado a um programa de pós-graduação”, ressalta.

Mapeamento de demandas do setor

De acordo com o professor Ronaldo Gonçalves, do Centro Universitário FEI e integrante da Coordenação Técnica da Linha V, a chamada está alinhada com o objetivo de estimular a formação de recursos humanos e o desenvolvimento tecnológico na área automotiva. “Em um cenário tão amplo com três Eixos, os pontos mais importantes foram identificados por meio de ações para dialogar com a cadeia automotiva e levantar as demandas do setor. Foram realizados eventos, pesquisas online e consulta pública para mapear as demandas tecnológicas”, explica.

As demandas mapeadas foram analisadas por grupos de trabalhos formados por representantes da indústria que integram as principais entidades de classe, como AEA, ANFAVEA e Sindipeças, além da comunidade científica. Após a análise, as demandas serão incorporadas pelas linhas temáticas da chamada pública.

Avaliação das propostas

Segundo o professor Tárcio André, da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e integrante da Coordenação Técnica da Linha V, o processo de avaliação das propostas submetidas é formado por três etapas: pré-seleção, qualificação técnico-científica e julgamento final. “Na pré-seleção conferimos os documentos e a aderência ao tema proposto. Na segunda etapa os projetos são analisados por avaliadores ad hocs, com experiência na área e designados por meio seleção pública. Os avaliadores seguem uma metodologia com absoluto sigilo. A etapa final é realizada pelo Comitê Técnico da Linha V, formado por integrantes de entidades de classe e da comunidade científica”, detalha.

Conecta Rota

As propostas para as chamadas públicas da Linha V são submetidas por ICTs, em parceria com empresas e startups de todo o Brasil. Para auxiliar na conexão, a Fundep desenvolveu a Plataforma Conecta Rota. A Plataforma é um espaço para cadastrar desafios e oportunidades de inovação tecnológica no âmbito do Programa Rota 2030. Além de cadastrar, também será possível interagir com outras propostas a partir do apoio da Equipe de Negócios e Parcerias da Fundep.

ACESSAR CONECTA ROTA

Cronograma da chamada

Linha V

A Linha V – Biocombustíveis, Segurança Veicular e Propulsão Alternativa à Combustão tem como diretriz a eletrificação do powertrain veicular para a alta eficiência energética, a utilização de biocombustíveis para a geração de energia e a adequação do contexto brasileiro de infraestrutura de abastecimento.

Coordenação técnica é da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), do Centro Universitário da Fundação Educacional Inaciana (FEI) e da Universidade Estadual do Ceará (Uece).