Fundep

Preciosidade: acervo de Autran Dourado na UFMG

Postado em Notícias da Fundep

Autor de importantes literaturas brasileiras, Autran Dourado (1926-2012) é reconhecido por livros como “Uma vida em segredo” (1964) e “Confissões de Narciso” (1997). Ele já recebeu o Prêmio Camões, pelo conjunto de sua obra, O Prêmio Machado de Assis, o Prêmio Jabuti, entre outros. O romance “Ópera dos Mortos” foi escolhido pela Unesco para integrar a Coleção de Obras Representativas da Literatura Universal. Autran era sucesso de público e era bem mencionado na crítica especializada. Em sua trajetória, ele foi, também, secretário de imprensa do presidente Juscelino Kubistschek. A relação de proximidade entre os dois começou quando Juscelino foi prefeito de Belo Horizonte, seguindo quando o político se tornou governador do Estado.

Natural de Minas Gerais, Autran se mudou para o Rio de Janeiro em 1950, mas o estado mineiro deixou marcas na sua trajetória. Por isso, seu maior patrimônio será transferido para o Acervo dos Escritores Mineiros, na Biblioteca Central da UFMG. Livros, anotações originais, correspondências com autores contemporâneos, como Carlos Drummond de Andrade (1902 -1987) e Jean-Paul Sartre (1905-1980), todo o escritório do autor foi transportado de sua casa no RJ para a Universidade, onde foram realizados o maior número de pesquisas sobre sua obra. No acervo de 4 mil livros, destacam-se obras de Miguel de Cervantes (1547-1616), Jorge Luis Borges (1899-1986), além de muitos dicionários e enciclopédias. A previsão é o acervo seja aberto ao público ainda neste ano.

 

Projeto Fundep

O projeto de transferência da obra de Autran Dourado para o Acervo dos Escritores Mineiros da UFMG contou com financiamento da Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais (Fapemig). A Fundep foi a gestora administrativa e financeira da iniciativa. “A Fundação viabilizou aquisição do acervo do escritor para a Universidade, realizando todo o processo jurídico e de documentação de compra e venda junto à família de Autran”, conta Henrique Mello, da Gerência de Projetos Especiais (GPE).

Coordenador da iniciativa, professor Reinaldo Martiniano Marques, da Faculdade de Letras, destaca que a família permitiu a transferência de todo o acervo do escritor, o que nem sempre ocorre. “Quando a gente fala em escritor, a primeira coisa que a gente pensa são livros. Mas o arquivo de um escritor tem também documentos pessoais. Os originais manuscritos ou datilografados. O Autran fez parte de uma geração que passou pela transição da máquina de escrever ao computador. Temos originais nos três tipos”, afirma o professor.

 

Pesquisa para o acervo literário

Para ficar disponível para a consulta do público, os arquivos e objetos do autor passam por tratamento arquivológico, museológico e de biblioteconomia. São matéria-prima rica para se reconstituir os bastidores da criação literária. A partir desse material, os pesquisadores podem, por exemplo, acessar a troca feita entre escritores de uma mesma geração. As cartas, bem como os originais, são essenciais para que os pesquisadores possam empreender a crítica biográfica, uma vez que os originais permitem identificar o percurso e aspectos da vida pessoal. Nos originais, Autran deixa anotações nas margens. Também é possível identificar as rasuras – rastros do esforço empreendido na busca de uma palavra e na construção de uma ideia.

O projeto arquitetônico do Acervo Mineiro de Escritores prevê três níveis: no primeiro, o leitor entra em contato com a reconstituição museográfica do escritório; no segundo, onde é instalada galeria para fotos e obras de arte da coleção pessoal do homenageado; e um terceiro com os livros e documentos.

De acordo com a professora da UFMG Eneida Maria de Souza, a abertura para o público desse acervo contribuirá para reconhecimento maior do autor. “Entre os materiais do acervo, há cartas que trocou com outros escritores, inéditos que poderão ser publicados. A aquisição desse acervo para a UFMG é importante não só para a comunidade universitária, mas para Minas Gerais. ”

 

Fonte: com informações do Portal Uai. Leia aqui a matéria na íntegra.