Fundep

Pela preservação de peixes

Postado em Notícias da Fundep

“Como pode um peixe vivo viver fora da água fria. Como poderei viver sem a tua companhia?” Esse trecho de uma canção nos remete à infância e nos alerta sobre a importância desses animais aquáticos para o equilíbrio ecológico e também para o campo social. A Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) investe nessa questão, e uma de suas ações é o Programa Peixe Vivo, que propõe, em termos gerais, soluções tecnológicas e definições estratégicas para a conservação das espécies de peixes nativos dos rios onde há usinas hidroelétricas, beneficiando as comunidades que utilizam recursos hídricos como fator de desenvolvimento.

Compondo o Programa, foi realizado um projeto que desenvolveu índices de integridade biótica como ferramenta de gestão para avaliar a qualidade ambiental dos reservatórios selecionados e subsidiar a implementação de medidas de restauração de habitats em áreas de soltura de alevinos – filhotes de peixes. A iniciativa contou com o gerenciamento administrativo-financeiro da Fundep sob a coordenação dos professores Marcos Callisto, do Instituto de Ciências Biológicas (ICB) da UFMG, Paulo Pompeu, da Universidade Federal de Lavras (Ufla), e Gilmar Santos, da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas), e foi realizada por meio da rede de parceria dessas universidades e de pesquisadores do Programa da Cemig, além de norte-americanos da Universidade Estadual do Oregon e da Agência de Proteção Ambiental dos EUA (US-EPA).

Os resultados do projeto foram divulgados no 2º Livro da Série Peixe Vivo: “Condições Ecológicas em Bacias Hidrográficas de Empreendimentos Hidrelétricos”, organizado pelo professor Callisto e pelo analista ambiental da Cemig, João de Magalhães, e também foram coeditores o Carlos Bernardo e a Miriam Castro. A publicação tem como autores 43 pesquisadores que participaram do desenvolvimento do estudo, filiadas a 12 Instituições. A versão em inglês do livro teve como coeditor o professor Robert Mason Hughes da Oregon State University e Amnis Opes Institute.

Parceria

A Fundep foi convidada para relatar o seu trabalho como parte de um capítulo do livro. Nesse sentido, um texto, apresentando institucionalmente a Fundação e sua atuação no projeto, foi produzido em conjunto pelas equipes da Assessoria de Comunicação Social (ACS) e da Gerência de Atendimento a Projetos (GAP) II.

“Acredito que o convite para compor o livro foi uma forma de reconhecimento da atuação da Fundep na realização da pesquisa. A gestão do projeto envolveu diversos setores na Fundação e demandou intenso acompanhamento e articulação com os vários parceiros e grupos de pesquisa, ampliando a nossa experiência com projetos realizados em rede. Foi gratificante fazer parte dessa iniciativa e receber o convite para sermos coautoras da publicação”, conta Renata Ferreira de Freitas, da GAP II. Sua gerente, Isabela Rocha, concorda e reforça: “Participar da iniciativa e contribuir de algum modo para a conservação das espécies de peixes e toda essa questão ambiental é motivo de orgulho”.

O professor Callisto afirma que a Fundep é parte importante. “A instituição garantiu as atividades de campo, de laboratório e também a manutenção das equipes, tendo, assim, uma atuação fundamental para o desenvolvimento da pesquisa. O convite para pessoas da Fundep serem coautoras não é simplesmente em função do gerenciamento dos recursos. Todos da Fundação que trabalharam no projeto – desde a negociação inicial, a gestão no dia a dia, os eventos, ao envio da prestação de contas – não são somente prestadores de serviço, são realmente parte da equipe. Sem a colaboração e participação efetiva delas, o projeto não teria sido desenvolvido”.

No dia 5 de dezembro, o livro foi entregue ao Conselho Diretor da Fundep, que parabenizou a equipe pela atuação na iniciativa e pela publicação. “É muito importante que a Fundação marque sua presença na divulgação de resultados como os relatados nessa publicação e esteja próxima, acompanhando, apoiando tais iniciativas e cumprindo a sua missão: facilitar o desenvolvimento da pesquisa. Devemos ficar atentos para participarmos de outras iniciativas similares pois elas demonstram o reconhecimento da comunidade pelo trabalho da Fundação em projetos importantes, contemporâneos, de tamanha relevância ambiental, social, científica e tecnológica”, afirma o presidente, professor Alfredo Gontijo de Oliveira.

O livro

A publicação “Condições Ecológicas em Bacias Hidrográficas de Empreendimentos Hidrelétricos” foi lançada em novembro, durante o 4° Seminário Estratégias para Conservação de Peixes em Minas Gerais, promovido pela Cemig. Exemplares da publicação, em versão em português e inglês, estão disponíveis na GAP II, ACS e futuramente no Ambiente Colaborativo. Também é possível conferir a versão online aqui.