Fundep

Parque aquático do CTE em destaque

Postado em Notícias da Fundep
CTE – Renato Carvalho – EEFTO

O Parque Aquático do Centro de Treinamento Esportivo (CTE) foi um dos projetos contemplados pela 18ª Premiação de Arquitetura IAB-MG 2016, promovida pela seção mineira do Instituto dos Arquitetos do Brasil. O evento de premiação aconteceu na noite de 6 de dezembro.

O desenvolvimento do projeto do CTE foi realizado com a parceria da UFMG com a Minas Gerais Participações (MGI) e o governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Esportes. A Fundep foi a gestora administrativo-financeira do projeto. Clique aqui e saiba mais sobre a atuação da Fundep nesta iniciativa.

O equipamento, fruto de trabalho coordenado pelo professor José Eduardo Ferolla, da Escola de Arquitetura, está em pleno funcionamento e foi aprovado com louvor pela equipe olímpica do Reino Unido, que utilizou o parque neste ano.

Espacialidade diferenciada

A justificativa do comitê julgador para a escolha do Parque Aquático destaca a ‘espacialidade diferenciada’ criada pela estrutura metálica da cobertura do pavilhão. Localizada na fachada oeste (lado da Rua Alfredo Camarate) do CTE, a cobertura chama a atenção na paisagem e inspirou a logomarca do Centro. “A cobertura gera microclima adequado no interior do parque e favorece o isolamento termocústico” destaca José Eduardo Ferolla.

O diretor do CTE, professor Luciano Prado, lembra, também, que a estrutura possibilita que as propriedades químicas da água sejam mantidas por mais tempo e que os atletas e treinadores estejam protegidos contra chuva e raios solares, o que é muito importante quando se trata de treinamento de alto nível. “O tratamento e o aquecimento da água são feitos com equipamentos de última geração. Usuários do parque aquático contam também, no mesmo ambiente, com estrutura e atendimento de medicina, fisioterapia, nutrição e psicologia”, acrescenta Prado.

O pavilhão aquático abriga a única piscina olímpica coberta do estado de Minas Gerais e pode abrigar competições de alto nível, já que é homologado pelas federações internacionais de esportes aquáticos. O tanque tem 75m x 25m e pode ser usado simultaneamente para diferentes atividades e esportes, como nado sincronizado e polo aquático, além da natação, graças a uma borda móvel adquirida nos Estados Unidos.

“O projeto e a construção contaram com assessoria fundamental de especialistas da Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional (EEFFTO), da Escola de Engenharia e da Escola de Arquitetura da UFMG”, destaca José Eduardo Ferolla.

O parque é utilizado atualmente por atletas de natação e nado sincronizado vinculados a projeto de desenvolvimento de esporte de alto rendimento patrocinado pelo Ministério do Esporte, equipes paralímpicas e atletas de seis clubes parceiros de Belo Horizonte.

Fonte: com informações da Agência de Notícias UFMG