Fundep

Instituições apoiadas

Universidade Federal de Minas Gerais– UFMG

Considerada pelos sistemas de avaliação do Brasil e do exterior como uma das melhores instituições de ensino superior do país, a UFMG registra índices significativos nos mais diversos indicadores acadêmicos internos e também nos sistemas de avaliação externos, que mensuram a produção intelectual e científica das universidades brasileiras e do mundo.

• A UFMG foi classificada pelo ranking nacional RUF (Ranking Universitário Folha de S. Paulo), pela quinta vez consecutiva, como tendo o melhor ensino do país entre as universidades públicas e privadas avaliadas.
• A UFMG é a melhor instituição de ensino superior federal na seleção do ranking mundial Times Higher Education (THE) 2019.
• A UFMG está entre as melhores universidades do país (posição em que permanece há mais de uma década). A Universidade recebeu nota máxima (5) no Índice Geral de Cursos (IGC) na avaliação realizada pelo Ministério da Educação.
A UFMG está entre as seis universidades latino-americanas mais bem classificadas na edição de 2020 do Ranking de Instituições SCImago (SIR), que contempla pesquisa, inovação e relevância social e utiliza dados coletados na base Scopus e no Google, entre outras fontes.

A UFMG tem lugar importante nos chamados Sistemas Nacionais de Inovação, conceito amplamente usado atualmente para abarcar as complexas interações entre as diversas instituições intervenientes no processo de desenvolvimento científico, tecnológico e inovativo, e seus respectivos espaços socioculturais, os quais funcionam como elementos potencializadores dos processos de inovação.

A vocação da UFMG para a pesquisa e inovação de excelência evidencia-se no número registrado de pedidos de patentes nacionais e internacionais, que chegou a um total de 1.365 em 2018 (dados até 31/10/2018). Conforme ranking do Instituto Nacional de Propriedade Industrial (Inpi), a UFMG está entre as três instituições com maior número de pedidos de patentes registrados por residentes no Brasil, o que evidencia o compromisso social da Universidade com o desenvolvimento em ciência e tecnologia e com a formação de pesquisadores de ponta no país.

A UFMG também se destacou, recentemente, em seleção da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), ao obter aprovação de 17 projetos de novos Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia (INCTs). A Universidade tem ainda 869 grupos de pesquisa registrados no CNPq, com 723 professores pesquisadores de Produtividade em Pesquisa.

Apoiada nos sólidos alicerces da sua história, inaugurada em 7 de setembro de 1927, a UFMG oferta 90 cursos de graduação presenciais e cinco cursos a distância e 84 programas de pós-graduação stricto sensu. A UFMG tem mantido conceito máximo (5) nas avaliações da qualidade dos cursos de graduação realizadas pelo Ministério da Educação (MEC) desde 2009. Entre os programas de mestrado e doutorado, 43% são de excelência internacional, com notas 6 (máxima para mestrado) e 7 (máxima para doutorado) na avaliação Capes (2014-2017).

Alinhados ao ensino e à pesquisa, os 2.390 projetos e ações de extensão, construídos por meio de constante interação entre a UFMG e a sociedade, promovem o diálogo e a troca de saberes entre a Universidade e a comunidade. A política cultural da Universidade se materializa em cinco espaços, entre os quais estão o Conservatório e o Espaço do Conhecimento, e numa rede de 20 museus e espaços de ciência e cultura.

Além do campus Pampulha, localizado na capital mineira, que abriga a Reitoria, os órgãos da Administração Central e a maioria das 20 unidades acadêmicas, a UFMG possui outros três campi: o Saúde, na região hospitalar de Belo Horizonte; o de Montes Claros, no norte do estado, e o Cultural UFMG, em Tiradentes, no Campo das Vertentes. Integram também essa estrutura a Faculdade de Direito e a Escola de Arquitetura, localizadas no centro da capital mineira.

 

Universidade Federal do ABC– UFABC

A Universidade Federal do ABC é a primeira instituição federal de ensino superior público e gratuito a se instalar na região do ABC paulista e conta com o apoio da Fundep desde 2005. A Universidade tem um projeto acadêmico arrojado e inovador, no qual os alunos ingressam na instituição em uma das duas opções de bacharelado interdisciplinar: Ciência e Tecnologia (BC&T) ou Ciências e Humanidades (BC&H). Em 2019 foram criadas duas Licenciaturas Interdisciplinares: a Licenciatura em Ciências Humanas (LCH) e a Licenciatura em Ciências Naturais e Exatas (LCNE) – ambas já ofertaram vagas no Edital de Ingresso do ano 2020. Os programas oferecem uma ampla variedade de conhecimento em diversos recortes distintos, de acordo com os interesses de cada aluno. A interdisciplinaridade é a essência do projeto acadêmico da UFABC. A opção por esse conceito se baseia na convicção de que os avanços na ciência e na tecnologia passaram a exigir uma reformulação do modo de se adquirir conhecimento. Apenas uma formação assentada em uma sólida base científica pode permitir que o profissional moderno se adapte eficientemente ao que dele se exige.

A oportunidade da formação contínua também é destaque na UFABC. Ao término do bacharelado interdisciplinar, os alunos podem seguir trajetórias que vão do ingresso no mercado de trabalho ao acesso direto à pós-graduação.

Fundada para explorar novas possibilidades, tanto na pesquisa quanto na educação, a Universidade possui laboratórios destinados ao desenvolvimento de projetos com equipamentos específicos, além da Central Experimental Multiusuário (CEM), com a finalidade de uso comum entre os pesquisadores da UFABC, instituições associadas e indústrias.

A inclusão também é prioridade na UFABC. Como prática de ação afirmativa, a Universidade reserva metade das suas vagas a alunos que tenham cursado o Ensino Médio integralmente em escolas públicas. Há também cotas destinadas a minorias étnicas, pessoas com deficiência, refugiados ou solicitantes de refúgio e transgêneros. A UFABC conta com um corpo docente formado exclusivamente por professores doutores, e um corpo discente de mais de 16 mil alunos, entre estudantes de graduação e pós-graduação.

Instituto de Estudos Avançados – IEAv

O Instituto de Estudos Avançados é organização militar de cunho científico-tecnológico sediada em São José dos Campos (SP) e ligada ao Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial do Comando da Aeronáutica. Tem por missão “Ampliar o conhecimento científico e o domínio de tecnologias estratégicas para fortalecer o Poder Aeroespacial Brasileiro”. O  IEAv fortaleceu o conhecimento científico para gerar tecnologias para o setor aeroespacial nas áreas de: Aerotermodinâmica e Hipersônica; C4ISR; Lasers, Óptica e Aplicações; Sensores e Atuadores; e Tecnologia Nuclear Aplicada. Essas tecnologias estão sendo embarcadas em requisitos de satélites, desenvolvimento de plataformas inerciais para satélites e aeronaves, avaliação de rotas e riscos de separação de aeronaves para o Controle do Espaço Aéreo, análise de Seção Reta Radar (RCS) de estruturas aeroespaciais, calibração de sensores, desenvolvimento de componentes resistentes à radiação ionizante e apoio a sistemas e processos de gerenciamento de crises e segurança de cenários de grandes eventos.

Comissão Nacional de Energia Nuclear – Cnen

A Comissão Nacional de Energia Nuclear é uma autarquia federal vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), que estabelece normas e regulamentos em radioproteção e é responsável por regular, licenciar e fiscalizar a produção e o uso da energia nuclear no Brasil. A Comissão também investe em ensino, pesquisa e desenvolvimento de tecnologias nucleares e correlatas e das aplicações das radiações ionizantes, além de áreas correlatas desenvolvidas a partir das vantagens competitivas adquiridas na área nuclear, assim como atividades de formação especializada de recursos humanos para o setor. São 14 unidades, entre institutos de pesquisa, laboratórios, distritos e escritórios regionais, distribuídas por nove estados brasileiros, com sede no Rio de Janeiro. Através de seu P&D, a CNEN oferece um amplo portfólio de competências tecnológicas (know-how e patentes) com foco em engenharia nuclear, metrologia e dosimetria das radiações, energias sustentáveis, processos químicos, minerais e materiais, biotecnologia, controle, medição e análise, lasers e aplicações, radioisótopos e radiofármacos, física médica, tecnologias para meio ambiente, dentre outras. O objetivo é garantir os benefícios dessas tecnologias a um número cada vez maior de brasileiros, ampliando seu uso e a segurança na operação dos materiais e equipamentos radioativos. A Fundep é autorizada a apoiar a CNEN desde 2012. Os principais projetos apoiados são os de estímulo à inovação – parceria com empresas, prestação de serviços técnicos especializados e atividades de extensão tecnológica – além de projetos de infraestrutura laboratorial financiados por agências de fomento. No ano de 2019, foram contratados 14 novos projetos junto aos principais institutos de pesquisa da CNEN – CDTN, IEN e IPEN. Destacam-se os projetos nas áreas de terras raras, grafeno e células a combustível.

Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais – Inpe

Unidade de pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) garante ao Brasil a capacidade de desenvolver satélites, produzir ciência espacial de qualidade, monitorar nosso território, ter uma previsão de tempo moderna, entender as mudanças globais e fazer com que o Espaço seja utilizado em benefício da sociedade brasileira.No INPE, em 2019, a FUNDEP apoiou projetos relacionados à participação do instituto na implantação do Laboratório de Fusão Nuclear e sobre dados de poluição atmosférica, além de projetos de pesquisa, desenvolvimento e extensão, quais ajudam a viabilizar, particularmente, ensaios de vibração, térmicos e de antenas, e ainda contribuir para a rastreabilidade metrológica em equipamentos que operam em alta frequência (GHz). Em 2019, foram realizados os ensaios do CBERS-4A, desenvolvidos pela cooperação espacial Brasil-China, firmada em 1988. Este satélite foi completamente montado, integrado e testado no Brasil, nas instalações do LIT/INPE – Laboratório de Integração e Testes do INPE, e lançado em dezembro da Base de Lançamento de Taiyuan, na China. O LIT/INPE realizou atividades do modelo de voo do AMAZONIA-1, primeiro satélite de observação da terra totalmente projetado, integrado, testado e operado pelo Brasil, com previsão de lançamento em 2020. A atuação simultânea do LIT/INPE em dois satélites do Programa Espacial Brasileiro é um marco importante.
Visando o desenvolvimento no Brasil de satélites ainda mais complexos, como RADAR e de telecomunicações, o LIT/INPE possui projeto de ampliação, junto a FINEP, para vir a testar satélites de até 6 toneladas a partir de 2023.

Instituto de Aeronáutica e Espaço – IAE

O Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE), localizado na cidade de São José dos Campos (SP), é uma organização militar do Comando da Aeronáutica, subordinada ao Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA). Sua finalidade é realizar pesquisa e desenvolvimento no campo aeroespacial e de defesa, conforme os planos e programas estabelecidos pelo DCTA, em atendimento às demandas da sociedade e com o objetivo de contribuir para a defesa e o desenvolvimento nacional. Seu Plano Estratégico, que abrange o período de 2013 a 2023, apresenta conceitos importantes que devem nortear o dia a dia de sua força de trabalho, direcionando suas ações na busca constante por seus objetivos estratégicos.

Núcleo de Inovação Tecnológica – NIT – da Marinha do Brasil

O Núcleo de Inovação Tecnológica (NIT-MB) é o órgão executivo gerencial da Política de Propriedade Intelectual do Ministério da Defesa no âmbito da Marinha. Existe para atender às exigências da Lei da Inovação (Lei nº 10.973), que dispõe sobre incentivos à inovação e à pesquisa científica e tecnológica no ambiente produtivo, com vistas à capacitação e ao alcance da autonomia tecnológica e ao desenvolvimento industrial do país. Com sede na Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação da Marinha, em Brasília (DF), o Núcleo tem como atribuições básicas: exercer a ligação da Instituição com órgãos governamentais e empresas, promover e estimular a proteção intelectual dos produtos desenvolvidos por pesquisadores da Marinha; assessorar as parcerias para realização de pesquisas científicas e tecnológicas, bem como de transferência de tecnologia, interagir com instituições públicas, privadas e outros NIT na geração de conhecimentos de CT&I, além de acompanhar e orientar a implementação das Diretrizes de Propriedade Intelectual.

Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia – Ibict

O Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT) completa, em 2020, 66 anos de atividades voltadas para a missão de promover a competência, o desenvolvimento de recursos e a infraestrutura de informação em ciência e tecnologia para a produção, socialização e integração do conhecimento científico-tecnológico do Brasil. O IBICT representa a vanguarda da informação no País e é referência internacional em acesso aberto à informação científica, avaliação do ciclo de vida, divulgação científica, e preservação digital. Entre os temas e áreas de atuação do Ibict destacadas em 2019 estão: a Ciência Aberta, porque esse movimento está crescendo no Brasil e no mundo, e o Ibict está no centro dessa discussão no país; eas pesquisas em gênero, para a valorização da mulher na Ciência da Informação, e o núcleo de informação para doenças raras e deficiência, com a criação de um repositório, o Vida em Movimento. Outro destaque foi o tema da Economia Circular e da sustentabilidade, com oficinas e capacitações em diversos municípios brasileiros para a melhoria da gestão de resíduos. O Ibict é pioneiro nesse tema no Brasil, no desenvolvimento de avaliação do ciclo de vida de um produto. Vale ainda ressaltar a participação no Sistema de Vigilância Agropecuária Internacional – Vigiagro, que aumenta a eficiência da fiscalização nos portos.

 Centro de Tecnologia Mineral – Cetem

O Centro de Tecnologia Mineral (CETEM) é o único instituto de pesquisa público focado em tecnologia mineral do Brasil. Integrante da estrutura do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), fundado em 1978, tem a missão de desenvolver tecnologias inovadoras e sustentáveis, e mobilizar competências, visando superar desafios nacionais do setor mineral, com foco no desenvolvimento de projetos nas temáticas: água, energia e resíduos; terras-raras; agrominerais; e rochas ornamentais. A instituição possui sede no Rio de Janeiro e um núcleo regional na cidade de Cachoeiro de Itapemirim (ES). Como resultados, pode-se destacar expressiva produção técnico-científica com cerca de 900 artigos publicados em anais de congressos e revistas científicas nos últimos 16 anos; 74 livros publicados desde 2000; quatro séries técnicas com publicações periódicas; e 260 publicações desde 1979. Ao longo de sua história, foram desenvolvidos mais de 900 projetos; centenas de prestações de serviços para o setor minerometalúrgico; parcerias com mais de 30 universidades e centros de pesquisa do País e do exterior.

Centro de Tecnologias Estratégicas do Nordeste – Cetene

O Centro de Tecnologias Estratégicas do Nordeste (Cetene), é uma Unidade de Pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), criado em 2005 para apoiar o desenvolvimento tecnológico e econômico da região Nordeste, além de promover a integração entre a sociedade, a inovação e o conhecimento. Com prioridade de atender as demandas da sociedade, o Cetene atua articulando o conhecimento científico e tecnológico e o acesso ao fomento. A atuação do Cetene prevê, ainda, ações de divulgação dos resultados provenientes dessas cooperações. Seminários, fóruns e capacitações são realizados no intuito de informar a sociedade acerca de ações do Centro, de seus parceiros e de outros agentes do sistema de ciência, tecnologia e inovação. Toda essa interação com a sociedade permite um fluxo de transferência de tecnologias que inserem na região ações, técnicas e produtos inovadores. O Centro permite a colaboração entre as unidades de pesquisa e ensino de todo país e busca facilitar a formação de redes de pesquisas temáticas, que solucionam problemas em diversos segmentos em escalas regionais e nacionais.

 

Instituto de Fomento e Coordenação Industrial – IFI

O Instituto de Fomento e Coordenação Industrial (IFI) funciona junto ao Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial do Comando da Aeronáutica, em São José dos Campos (SP), e presta serviços nas áreas de certificação, propriedade intelectual, transferência de tecnologia, coordenação industrial e metrologia. A missão do IFI é colaborar na garantia do desempenho, da segurança e da disponibilidade de produtos e sistemas aeroespaciais de interesse do Comando da Aeronáutica. O Instituto também presta serviços nas áreas de certificação, propriedade intelectual, transferência de tecnologia e coordenação industrial. A organização é reconhecida pelo International Accreditation Forum (IAF) como organismo de certificação de sistemas de gestão da qualidade e de gestão da qualidade aeroespacial.

Instituto Nacional do Semiárido – Insa

O Instituto Nacional do Semiárido (Insa) é uma unidade de pesquisa integrante do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), com enfoque no Semiárido brasileiro. Como uma instituição federal de pesquisa, articula, realiza, promove e divulga Ciência, Tecnologia e Inovação como patrimônios universais para o bem da sociedade e, particularmente, do Semiárido brasileiro. O Instituto também tem inserção internacional como correspondente científico do Brasil junto à Convenção das Nações Unidas para o Combate à Desertificação (UNCCD).

Instituto Nacional de Tecnologia – INT

Criado em 1921, com o nome de Estação Experimental de Combustíveis e Minérios, atualmente Instituto Nacional de Tecnologia (INT), está localizado na cidade do Rio de Janeiro, o qual é uma Unidade de Pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC). Com a missão de contribuir para o desenvolvimento tecnológico do Brasil por meio da pesquisa, serviços, transferência de conhecimento e promoção da inovação, possuindo as seguintes competências técnicas: Avaliação de Processos, Produtos e Insumos; Bioprocessamento e Bioprodutos; Catálise e Biocatálise; Corrosão, Biocorrosão e Degradação de Materiais; Eficiência Energética; Engenharia e Ciência dos Materiais; Engenharia e Design de Produtos; Manufatura Aditiva e Tecnologias de Gestão da Produção. Com o apoio da FUNDEP, no ano de 2019 foram desenvolvidos 36 (trinta e seis) projetos nas vertentes de serviços tecnológicos e na promoção da inovação com destaque para a atuação do INT como Unidade no âmbito do Programa EMBRAPII.

Instituto Tecnológico de Aeronáutica – ITA

O Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) é uma instituição universitária pública ligada ao Comando da Aeronáutica (COMAER). Está localizado no Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), na cidade paulista de São José dos Campos. Especializado nas áreas de ciência e tecnologia no Setor Aeroespacial, o ITA oferece cursos de: graduação em Engenharia, pós-graduação stricto sensu em nível de Mestrado, Mestrado Profissional e Doutorado, pós-graduação lato sensu de especialização e de extensão. Criado em 1950, por inspiração do Marechal Casimiro Montenegro Filho e intensa cooperação internacional, o ITA é considerado um centro de referência no ensino de engenharia no Brasil. 

Observatório Nacional – ON

O Observatório Nacional (ON), instituto de pesquisa vinculado ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, situado no Rio de Janeiro (RJ), atua em três grandes áreas de conhecimento – Astronomia, Geofísica e Metrologia em Tempo e Frequência – nas quais realiza pesquisa, desenvolvimento e inovação, com reconhecimento nacional e projeção internacional. Suas atividades incluem a formação de pesquisadores em cursos de pós-graduação, a geração, conservação e disseminação da Hora Legal Brasileira e a divulgação do conhecimento produzido através de atividades especializadas. Com mais de 190 anos de existência, o ON é referência mundial em suas áreas de atuação. Integra os principais levantamentos mundiais de dados astronômicos, participa de importantes redes de dados geofísicos e contribui para a composição do Tempo Universal Coordenado (UTC – do inglês Universal Time Coordinated). O ON mantém, fora de sua sede no Rio de Janeiro, observatórios magnéticos em Vassouras – RJ e Tatuoca – PA realizando o monitoramento contínuo do campo magnético terrestre além de um observatório astronômico no Sertão de Itaparica – PE, dedicado à pesquisa de pequenos corpos do Sistema Solar.

Museu Paraense Emílio Goeldi – MPEG

O Museu Paraense Emílio Goeldi (MPEG) é um dos institutos de pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC). Tem como finalidade regimental realizar pesquisas, promover a inovação científica, formar recursos humanos, conservar acervos e comunicar conhecimentos nas áreas de ciências naturais e humanas relacionadas à Amazônia. Além de ser um instituto de pesquisa, é também um espaço de lazer e educação, bem como Museu de História Natural, reconhecido a nível nacional e internacional, congregando o Campus de Pesquisa, o Parque Zoobotânico, a estação científica localizada na Floresta Nacional de Caxiuanã (Melgaço/PA). Destaca-se a expressiva produção científica em 2019, contabilizando um total de 324 artigos científicos, 63% dos quais publicados em periódicos indexados nas bases SCOPUS e SCI. Além disso, contabiliza-se a descoberta de novas espécies da biodiversidade amazônica, o registro de 3 solicitações de patentes, 1 registro de software e o desenvolvimento de dezenas de projetos de pesquisa científica e tecnológica, dois dos quais intermediados pela Fundep. O apoio da Fundep no gerenciamento de projetos do MPEG vem permitindo maior agilidade na execução das iniciativas, facilitando aos pesquisadores o desenvolvimento de suas atividades, bem como contribuindo para que o Museu Paraense Emílio Goeldi alcance as metas estabelecidas não somente no âmbito dos projetos, mas, também, no seu Plano Diretor, e atendendo à Legislação em vigor.

Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares
– Ebserh – Hospital das Clínicas UFMG

O Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Minas Gerais (HC-UFMG), administrado pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), é um hospital universitário, público e geral, integrado 100% ao Sistema Único de Saúde (SUS). A instituição atua no atendimento à sociedade, na formação de recursos humanos, no desenvolvimento de pesquisas e na produção e incorporação de tecnologia na área da saúde por meio de atividades de ensino, pesquisa e assistência. Atende todas as especialidades e subespecialidades oferecidas pelo SUS com exceção da radioterapia, constituindo-se como referência em alta complexidade para o estado de Minas Gerais.

Com mais de 64 mil m² de área construída, o HC-UFMG é formado por um prédio principal, o Hospital São Vicente de Paulo, e sete anexos para atendimento ambulatorial: Ambulatório Bias Fortes, Anexo de Dermatologia Osvaldo Costa, Ambulatório São Vicente, Hospital Borges da Costa, Hospital São Geraldo, e o Instituto Jenny de Andrade Faria de Atenção à Saúde do Idoso e da Mulher, além da Moradia dos Médicos Residentes (Anexo Maria Guimarães). O prédio principal localiza-se à Avenida Professor Alfredo Balena, nº 110, Campus da Saúde da Universidade Federal de Minas Gerais, no centro da região hospitalar de Belo Horizonte.

Sobre a Ebserh

Desde outubro de 2014, o HU-UFSCar faz parte da Rede Ebserh. Vinculada ao Ministério da Educação (MEC), a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) administra atualmente 40 hospitais universitários federais. O objetivo é, em parceria com as universidades, aperfeiçoar os serviços de atendimento à população, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), e promover o ensino e a pesquisa nas unidades filiadas. Criada em dezembro de 2011, a empresa também é responsável pela gestão do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf), que contempla ações em todas as unidades existentes no país, incluindo as não filiadas à Ebserh.

Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares
– Ebserh – Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian (UFMS)

O Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian (HUMAP) integra a Universidade Federal de Mato Grosso do Sul; em 2013, passou a ser administrado pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares, contractualizado ao SUS e destaca-se como referência estadual nas linhas de cuidado prioritárias: Doença Infecto Parasitárias; Materno-Infantil; Saúde da Criança e Cardiovascular. A organização da gestão é composta pela Gestão de Atenção em Saúde, Gestão Administrativa e Gestão de Ensino e Pesquisa (GEP) liderado pela Superintendência. A GEP atua no planejamento e execução das atividades de apoio ao ensino, à pesquisa e à extensão. Os Programas de Residência ofereceram formação de especialistas; mantém o apoio e o incentivo ao desenvolvimento com qualidade dos cursos de graduação nas áreas de saúde, dentre outras áreas. Na área da pesquisa em conjunto com a Coordenadoria de Pesquisa e Inovação Tecnológica da Ebserh-Sede tem trabalhado em diretrizes para pesquisa em rede. O HUMAP possui em execução pesquisas básicas e aplicadas com ênfase em bioprospecção de substâncias anticâncer, doenças raras e negligenciadas, infectocontagiosas, doenças do aparelho respiratório, saúde materno-infantil, neonatologia, células tronco e terapia celular; além das áreas de cardiologia e dermatologia. Com implantação do Centro de Processamento Celular para 2020 abre perspectiva para tratamento regional de diversas doenças onco-hematológicas e representa eixo de treinamento médico, de pesquisa e terapia celular, único no Estado de Mato Grosso do Sul. A Fundep vem corroborar com o incremento das pesquisas clínicas e outras atividades de ensino no HUMAP através do suporte administrativo e expertise na área.

Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares
– Ebserh – Hospital Universitário Onofre Lopes (UFRN)

O Hospital Universitário Onofre Lopes (HUOL) é uma instituição que faz parte da Universidade do Rio Grande do Norte (UFRN), sendo administrado atualmente pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH). O HUOL integra o Sistema Único de Saúde (SUS), conforme estabelece a Lei Orgânica da Saúde (Lei no 8080/90), na qualidade de hospital de referência, sem prejuízo dos objetivos fundamentais da UFRN. A sua missão é promover de forma integrada o ensino, a pesquisa, a extensão e a assistência, no âmbito das ciências da saúde e correlatas, com qualidade, ética e sustentabilidade.

 Fundação Centro Universitário Estadual da Zona Oeste do Rio de Janeiro – UEZO

A Fundação Centro Universitário Estadual da Zona Oeste (UEZO) é uma Universidade pública Estadual localizada na Zona Oeste do Município do Rio de Janeiro, que tem como missão ser um centro de referência no ensino público de qualidade, na pesquisa e na inovação prioritariamente tecnológica, apostando na crescente participação da vida econômica, empresarial e institucional, procurando atender as necessidades sociais e econômicas da região e do Estado, ajudando, dessa forma, o desenvolvimento do Rio de Janeiro. Para tal, a UEZO conta hoje com os cursos de Graduação em Farmácia, Biologia, Ciência da Computação, Engenharias de Produção, Materiais e Metalúrgica e cursos superiores de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas e Tecnologia em Construção Naval. Em temos de Pós-graduação, temos os programas de Mestrado Profissional em Ciência e Tecnologia Ambiental, Ciência e Tecnologia em Materiais e o Programa Acadêmico de Mestrado e Doutorado em Biomedicina Translacional. Localizada estrategicamente próximo aos principais polos industriais e comerciais da cidade do Rio de Janeiro e adjacências, a UEZO conta com conjunto de laboratórios com equipamentos de ponta, e um corpo docente que é composto exclusivamente por professores doutores. Desde o ano de 2018, a Fundep tem apoiado a UEZO no desenvolvimento de seus programas de Especialização e Projetos de P&D.

Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia– Inpa

O Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa) é uma Unidade de Pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) que realiza estudos científicos sobre o meio físico, biológico e as condições de vida da região amazônica visando o bem-estar humano e o desenvolvimento socioeconômico regional. Atualmente sua estrutura é composta pelas coordenações de Pesquisa, Capacitação, Ações Estratégicas, Extensão e Administração. O Instituto atua em quatro focos de pesquisa: Biodiversidade; Tecnologia e Inovação; Dinâmica Ambiental e Sociedade, Ambiente e Saúde. Sobre temas ligados à fauna e flora, ecossistemas terrestres e aquáticos, clima, populações tradicionais, saúde e patologias da população, dentre outros. Com nove programas de pós-graduação, o INPA já formou mais de 2600 mestres e doutores; possui significativa infraestrutura de pesquisa com três campi em Manaus, núcleos estaduais, estações experimentais, reservas, flutuantes, torres de observação, além de um programa de coleções científicas biológicas. O INPA é referência mundial em Biologia Tropical pelo conhecimento gerado sobre biodiversidade amazônica, bioprospecção e desenvolvimento de produtos e processos derivados de recursos naturais, clima, serviços ambientais e saúde da população.

Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia – Inmetro

O Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) é uma autarquia federal, vinculada ao Ministério da Economia, que atua como Secretaria Executiva do Conselho Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Conmetro), colegiado interministerial, que é o órgão normativo do Sistema Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Sinmetro). Objetivando integrar uma estrutura sistêmica articulada, o Sinmetro, o Conmetro e o Inmetro foram criados pela Lei 5.966, de 11 de dezembro de 1973, cabendo a este último substituir o então Instituto Nacional de Pesos e Medidas (INPM) e ampliar significativamente o seu raio de atuação a serviço da sociedade brasileira. No âmbito de sua ampla missão institucional, o Inmetro objetiva fortalecer as empresas nacionais, aumentando sua produtividade por meio da adoção de mecanismos destinados à melhoria da qualidade de produtos e serviços. Sua missão é prover confiança à sociedade brasileira nas medições e nos produtos, por meio da metrologia e da avaliação da conformidade, promovendo a harmonização das relações de consumo, a inovação e a competitividade do País.

Universidade Federal de Ouro Preto – UFOP

Produzir e disseminar o conhecimento científico, tecnológico, social, cultural, patrimonial e ambiental e contribuir para a formação do sujeito como profissional ético, crítico-reflexivo, criativo, empreendedor, humanista e agente de mudança na construção de uma sociedade justa, desenvolvida socioeconomicamente, soberana e democrática. Esses são os objetivos da Universidade Federal de Ouro Preto, que tem sede em três cidades mineiras – Ouro Preto, Mariana e João Monlevade. Com atuação em todas as grandes áreas do conhecimento em nível de graduação, pós-graduação, pesquisa, extensão e inovação, a instituição busca, especialmente por meio da extensão, desenvolver atividades afins com seus diversos públicos, priorizando o diálogo da universidade com a sociedade e fortalecendo atividades culturais e artísticas.

Serviço Geológico do Brasil – CPRM

O Serviço Geológico do Brasil (CPRM) é uma empresa pública, vinculada ao Ministério de Minas e Energia. Sua missão é: gerar e disseminar conhecimento geocientífico com excelência, contribuindo para melhoria da qualidade de vida e desenvolvimento sustentável do Brasil. O Serviço Geológico é o responsável pelo Programa Geologia do Brasil, do Governo Federal. O CPRM atua com: levantamentos geológicos, levantamentos Geofísicos; Avaliação dos Recursos Minerais do Brasil, Levantamentos Hidrogeológicos, Gestão da Informação Geológica, Análises Químicas e Minerais do Laboratório de Análises Minerais. A CPRM conta com infraestrutura operacional instalada em todo o país, somando oito Superintendências Regionais: Manaus (AM), Belém (PA), Recife (PE), Goiânia (GO), Salvador (BA), Belo Horizonte (MG), São Paulo (SP) e Porto Alegre (RS). São as unidades executoras dos projetos, onde se concentra o grosso da capacidade operacional da instituição. Além disso, temos três Residências, que são estruturas operacionais menores, localizadas em Porto Velho (RO), Teresina (PI) e Fortaleza (CE). Finalmente, contamos com três Núcleos de Apoio, que são pequenos escritórios de representação e apoio operacional, nas cidades de Natal (RN), Cuiabá (MT) e Criciúma (SC). A sede política da empresa localiza-se em Brasília (DF) e o escritório central da Administração e dos departamentos técnicos situa-se no Rio de Janeiro (RJ). Afora a rede de unidades operacionais, a CPRM tem três centros de treinamento, nas cidades de Apiaí (SP), Morro do Chapéu (BA) e Caçapava do Sul (RS).

Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade – ICMBIO

O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade é uma autarquia em regime especial. Criado dia 28 de agosto de 2007, pela Lei 11.516, o ICMBio é vinculado ao Ministério do Meio Ambiente e integra o Sistema Nacional do Meio Ambiente (Sisnama). Cabe ao Instituto executar as ações do Sistema Nacional de Unidades de Conservação, podendo propor, implantar, gerir, proteger, fiscalizar e monitorar as UCs instituídas pela União. Cabe a ele ainda fomentar e executar programas de pesquisa, proteção, preservação e conservação da biodiversidade e exercer o poder de polícia ambiental para a proteção das Unidades de Conservação federais.

Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia de Minas Gerais – IFMG

O IFMG é uma autarquia formada pela incorporação da Escola Agrotécnica Federal de São João Evangelista, dos Cefets de Ouro Preto e Bambuí e das Uneds de Formiga e Congonhas. Os demais campi foram criados posteriormente. A Instituição está entre as 38 criadas no país pela Lei nº 11.892, sancionada em 29 de dezembro de 2008 pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Instalados em regiões estratégicas do estado, os campi do IFMG estão vinculados a uma Reitoria, que tem sede em Belo Horizonte. São disponibilizados mais de 70 cursos, divididos entre as modalidades de Formação Inicial e Continuada (FIC), Ensino Técnico (integrado ao Ensino Médio, concomitante, subsequente e Educação de Jovens e Adultos), Ensino Superior (Bacharelado, Licenciatura e Tecnologia), Pós-Graduação Lato Sensu e Stricto Sensu. Hoje, o IFMG possui aproximadamente 10 mil alunos matriculados nas unidades distribuídas em Minas Gerais (fonte: Simec). Com a criação dos 38 Institutos Federais no país, metade das vagas são destinadas para os cursos técnicos integrados ao Ensino Médio, para dar ao jovem uma possibilidade de formação já nessa etapa de ensino. Na educação superior, há destaque para os cursos de engenharia e bacharelados tecnológicos (30% das vagas). Outros 20% estão reservados para licenciaturas em ciências da natureza. Além do IFMG, outros quatro Institutos Federais e um Cefet compõem a Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica em Minas.

Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva – INCA

O Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA) é o órgão auxiliar do Ministério da Saúde no desenvolvimento e coordenação das ações integradas para a prevenção e o controle do câncer no Brasil. Tais ações compreendem a assistência médico-hospitalar, prestada direta e gratuitamente aos pacientes com câncer como parte dos serviços oferecidos pelo Sistema Único de Saúde, e a atuação em áreas estratégicas, como prevenção e detecção precoce, formação de profissionais especializados, desenvolvimento da pesquisa e geração de informação epidemiológica. O Instituto coordena vários programas nacionais para o controle do câncer e está equipado com o mais moderno parque público de diagnóstico por imagem da América Latina.

Laboratório Nacional de Astrofísica – LNA

O Laboratório Nacional de Astrofísica é um instituto de pesquisa do MCTIC e tem a missão de Planejar, desenvolver, prover, operar e coordenar os meios e a infraestrutura para fomentar, de forma cooperada, a astronomia observacional brasileira. Para isto realizamos pesquisas em astrofísicas e mantemos a infraestrutura de observatórios astronômicos para a comunidade científica nacional. O LNA é o principal fornecedor de meios observacionais para a realização de pesquisas em astronomia no Brasil. Além disto desenvolve instrumentação para os telescópios. O objetivo das linhas de pesquisa em Instrumentação astronômica é dotar os telescópios gerenciados pelo LNA, para a comunidade astronômica brasileira, de instrumentação científica adequada para o desenvolvimento de pesquisa competitiva através do desenvolvimento no Brasil de instrumentos observacionais avançados. A Fundep tem sido parceira do LNA em vários projetos de desenvolvimento de instrumentação científica e de infraestrutura institucional. Destaca-se a agilidade da FUNDEP nas aquisições e sua prestação de contas precisa. Em 2019 tivemos o desenvolvimento do projeto 23830 nº 13/2016 que envolve o desenvolvimento do espectrógrafo ECHARPE para o telescópio Perkin&Elmer do Observatório do Pico dos Dias.

Universidade Federal da Integração Latino-Americana –Unila

A Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA), criada pela Lei nº 12.189/2010, é um órgão de natureza jurídica autárquica, vinculada ao Ministério da Educação, com sede e foro na cidade de Foz do Iguaçu, Estado do Paraná. Sua missão institucional é a de formar recursos humanos aptos a contribuir com a integração latino-americana, com o desenvolvimento regional e com o intercâmbio cultural, científico e educacional da América Latina, especialmente no Mercado Comum do Sul (Mercosul). A vocação da UNILA é o intercâmbio acadêmico e a cooperação solidária com países integrantes do Mercosul e com os demais países da América Latina. Os cursos oferecidos são em áreas de interesse mútuo dos países da América Latina, sobretudo dos membros do Mercosul, em áreas consideradas estratégicas para o desenvolvimento e a integração regionais.

Amazônia Azul Tecnologias de Defesa – Amazul

Usar a tecnologia nuclear para salvar vidas, melhorar a qualidade de vida das pessoas, garantir a segurança energética com energia limpa e defender a soberania do país – esse é o compromisso da Amazul. A instituição foi constituída em 2013 para absorver, promover, desenvolver, transferir e manter atividades sensíveis às atividades do Programa Nuclear da Marinha (PNM), do Programa de Desenvolvimento de Submarinos (PROSUB) e do Programa Nuclear Brasileiro (PNB). Sua atuação engloba as seguintes áreas: gestão do conhecimento, gestão de pessoas, projetos de engenharia nuclear, desenvolvimento de tecnologias nucleares, prestação de serviços e gerenciamento de projetos, assessoria em licenciamento nuclear, projeto e desenvolvimento de empreendimentos e operação de instalações nucleares. Uma das vantagens da Amazul é a flexibilidade. Para executar projetos na área nuclear e de desenvolvimento de submarinos, a empresa pode estabelecer escritórios, dependências e filiais em outras unidades da federação e no exterior, participar minoritariamente de empresas privadas e empreendimentos para a consecução de seu objeto social, ser contratada pela administração pública com a dispensa de licitação e contratar pessoal por tempo determinado.

Universidade Federal de Alfenas – Unifal

Com mais de 100 anos de existência, a Unifal-MG é reconhecida como instituição de ensino superior de destacada qualidade, apresentando expressivos resultados em seus cursos de Graduação e de Pós-Graduação, por meio dos quais busca constantemente oportunidades de crescimento e melhorias nas atividades de Ensino, Pesquisa, Extensão, Inovação Tecnológica e Internacionalização. Para atender às demandas educacionais da sociedade e participar dos problemas e desafios impostos pelo desenvolvimento local, regional e nacional, a instituição conta com quatro unidades: com localização da Sede e da Unidade Educacional em Alfenas; e os campi avançados nas cidades de Poços de Caldas e Varginha, em Minas Gerais. Visando ampliar o acesso ao ensino superior, em 2004 a Unifal inaugurou o Centro de Educação Aberta e a Distância, tornando-se presente nos polos de ensino em mais de 20 municípios em Minas e São Paulo. A Universidade tem a missão de promover a formação plena do ser humano, gerando, sistematizando e difundindo o conhecimento, comprometendo-se com a excelência no ensino, na pesquisa e na extensão, com base nos princípios da reflexão crítica, da ética, da liberdade de expressão, da solidariedade, da justiça, da inclusão social, da democracia, da inovação e da sustentabilidade.

Conheça as oportunidades e desenvolva suas pesquisas

Veja as oportunidades de fomento

Realize o seu projeto

A Fundep apoia o desenvolvimento da sua iniciativa de pesquisa, ensino e extensão.

Confiando os projetos à Fundep, você pode se concentrar em suas principais atribuições e fazer a diferença para o progresso científico, tecnológico e social.

Seja nosso parceiro

A Fundep oferece um canal de comunicação para encaminhar as informações, sanar dúvidas e receber opiniões.

Antes de enviar sua mensagem, não deixei de ler nossas Perguntas Frequentes e conferir nossas Vagas e Oportunidades

Notícias

Ensino e Inovação
Hoje e sempre: o papel fundamental do professor na sociedade

No Dia do Professor, Sandra Goulart Almeida, reitora da UFMG, ressalta a importância do papel social da Universidade e de seu corpo docente no atual contexto de transformações e na construção de um futuro melhor

Leia mais
Eventos C,T&I
2ª RODADA DE WEBINÁRIOS DISCUTE OS DESAFIOS E OPORTUNIDADES QUE A MOBILIDADE ELÉTRICA TRAZ PARA A INOVAÇÃO NO BRASIL

Eventos serão realizados nos dias 27 e 29 de outubro e reúnem referências dos setores da mobilidade elétrica para contribuir com caminhos e respostas para movimentar a Plataforma Nacional de Mobilidade Elétrica (PNME)

Leia mais
Ensino e Inovação
Como é ser professor em tempos de Covid-19?

Em meio às transformações, a Educação continua com o mesmo propósito firme de construir capital humano e desenvolver a sociedade

Leia mais
Eventos C,T&I
Sem mesa de bar, como popularizar a ciência?

Contexto de distanciamento social estimula ocupação da ciência no ambiente digital. Entre desafios e oportunidades, iniciativas como o Pint of Science atuam sem fronteiras aproximando o fazer científico da sociedade

Leia mais