Fundep

Painéis “Guerra e Paz”, de Portinari, em BH

Postado em Eventos C,T&I

Apreciadores da arte já puderam conferir, em vários países, a mostra dos painéis “Guerra e Paz”, que o artista plástico brasileiro Candido Portinari fez na década de 1950 para a sede da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York. Agora, chegou a vez de Belo Horizonte receber a importante exposição, que foi aberta ao público no dia 9 de outubro. A iniciativa marcou a reinauguração do tradicional Cine Theatro Brasil Vallourec, na Praça Sete.

Chamada de monumental, a obra conta com painéis que são compostos, ao todo, por 28 placas de compensado naval, cada uma com 2,2 metros de altura por cinco metros de largura e 75 quilos. A área total pintada, uma superfície de 280 metros quadrados, é maior do que a do “Juízo Final”, produzida por Michelangelo para a Capela Sistina.

A exposição “Guerra e Paz” fica na capital mineira até dia 24 de novembro. Visitas de terça a domingo, das 10h às 20h, em sessões para 400 pessoas a cada hora. A entrada é franca. Em maio de 2014, os painéis seguem para o Grand Palais, em Paris.

Fundep parceira

Os painéis passaram por um trabalho de restauração, realizado com a participação da UFMG, por meio dos laboratórios de Ciência da Conservação (Lacicor) e de Documentação Científica por Imagem. Para executar a restauração, foi necessária uma análise das obras, para obter dados e informações precisas, que permitissem descobrir quais intervenções deveriam ser feitas nos painéis. Esse estudo foi realizado a partir de um projeto desenvolvido em conjunto pelos dois laboratórios, sob a coordenação dos professores Luiz Sousa e Alexandre Leão, da Escola de Belas Artes da UFMG. O projeto, realizado em 2011, contou com a atuação da Fundep.

“A Fundação foi a gestora administrativo-financeira do projeto que realizou a análise científica de materiais e elaborou a documentação por imagem e, assim, contribuiu com o trabalho de restauração e exposição dos painéis ‘Guerra e paz'”, conta Marilene Nunes, da Gerência de Atendimento a Projetos (GAP) II.

O projeto já foi destaque no Jornal da Fundep. Leia a reportagem aqui.