Fundep

Conexão universidade-empresa impulsiona a geração de inovações para a sociedade

Postado em Ciência, Tecnologia e Inovação

A ciência, tecnologia e inovação desenvolvidas nos centros de ensino e pesquisa têm sido um dos principais motores para a economia e desenvolvimento social das nações. Com o intuito de potencializar o conhecimento gerado nos Institutos de Ciência e Tecnologia (ICTs) e impulsionar a interação entre Universidade e empresas, a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), por meio da Pró-Reitoria de Pesquisa (PRPq), e a Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa (Fundep) estão realizando o Outlab: programa de aceleração de negócios exclusivo para laboratórios.

Em sua primeira edição, equipes de 25 laboratórios da UFMG participaram de uma imersão de nove semanas para o aprimoramento e expansão de suas áreas comerciais. Para apresentar os resultados alcançados por meio desta iniciativa pioneira, será realizado, no dia 16 de setembro, o evento de encerramento do programa no modelo de Open Innovation – expressão usada para destacar a colaboração e relacionamento entre os diversos atores do ecossistema de inovação. Assim, a programação envolve rodada de negócios entre empresas e laboratórios participantes; show case com a exposição das atividades dos laboratórios; seguida de cerimônia de encerramento e happy hour para mais networking.

O encontro é aberto a integrantes de laboratórios, pesquisadores e empresários de grande/média/pequena empresa. Inscrições gratuitas neste link. A programação envolve rodada de negócios entre empresas e laboratórios participantes; show case com a exposição das atividades dos laboratórios; seguida de cerimônia de encerramento e happy hour para mais networking.

“A conexão entre ICTS e empresas tem sido amplamente utilizada no mundo contemporâneo, em que as tecnologias estão avançando de forma acelerada, com impactos em toda a sociedade”, afirma o prof. Alfredo Gontijo de Oliveira, presidente da Fundep. De acordo com o pró-reitor de pesquisa da UFMG, prof. Mario Fernando Montenegro Campos, “os resultados das investigações científicas dos laboratórios apresentam grande potencial de se tornarem produtos ou serviços inovadores para as pessoas. O Outlab é uma oportunidade excelente para auxiliar os pesquisadores nesta tão necessária, mas desafiadora transposição”, explica.

IMERSÃO NO UNIVERSO DE NEGÓCIOS

Ao longo do programa, os integrantes dos laboratórios selecionados receberam conteúdos específicos sobre planejamento de negócios, marketing, vendas, entre outros; e tiveram metas de desenvolvimento estabelecidas pela equipe de aceleração. Com eventos periódicos para aproximação com o ecossistema, seis hubs de inovação foram visitados: Biotechtown, Mining Hub, Fiemg Lab, Centro de Inovação Unimed, P7 Criativo e Hubble. Os participantes puderam, ainda, se conectar com grandes empresas, como Gerdau, Magnesita, Anglo American, Samarco, Fiemg e Petrobras. Relações interlaboratoriais também foram formadas, possibilitando a efetivação de novas parcerias e a aplicação da pesquisa científica ao mercado.

A coordenadora do Outlab, Rayza Resende, destaca que o programa ampliou a visão de mercado dos participantes, além da percepção das potencialidades de suas pesquisas. “Os laboratórios desenvolveram um conhecimento sistêmico de todos os processos que envolvem um negócio. Com isso, eles conseguiram realizar conexões com outros laboratórios e também com o mercado”, diz.Participante do primeiro ciclo do Outlab, Tiago Andrade, pesquisador e assessor de negócios do laboratório Nuclefar, que presta serviços na área de radiofármacos, conta que a experiência abriu fronteiras do conhecimento e expandiu a atuação para além da Universidade: “aprendemos a trabalhar nosso posicionamento no mercado com estratégia e planejamento e também compreendemos melhor como o que fazemos na Universidade pode ser aplicado na sociedade por meio das conexões e parcerias”.

O PROGRAMA

Idealizado como o primeiro programa de aceleração de laboratórios do Brasil, o Outlab é uma realização da PRPq UFMG e da Fundep. Sua proposta é baseada na expertise da Fundep de mais de quatro anos em pré-aceleração, aceleração e atuação no ecossistema de inovação e empreendedorismo.A iniciativa não envolveu custos para os laboratórios e consistiu em metodologias de vendas e sensibilização para o potencial comercial dos participantes. Foram abordadas quatro áreas específicas: mercado, serviço, venda e pós-venda. A agenda contemplou palestras, workshops, orientação individual com agentes de aceleração e mentores (profissionais especializados para o acompanhamento), bem como bancas para avaliação e feedback dos resultados.

CONHEÇA OS LABORATÓRIOS PARTICIPANTES

Centro de Tecnologia em Medicina Molecular
CT Vacinas
ESCALAB
GeotecLab
Grupo de Tecnologias Ambientais
Idea Real
INCT Midas
Laboratório de Angiogênese e Células-tronco
Laboratório de Bioengenharia – LABBIO
Laboratório de Conexões Intermidiáticas – LabCon
Laboratório de Controle de Qualidade
Laboratório de Cristalografia – LabCri
Laboratório de Diversidade Genética Humana – LDGH
Laboratório de Ensaios de Combustíveis – LEC
Laboratório de Estudos Antárticos em Ciências Humanas – LEACH
Laboratório de Nanomateriais
Laboratório de Óleos e Biotecnologia
Laboratório de Sinalização
Laboratório Industrial Farmacêutico – NUCLEFAR
LabTerm
LIQBR
NEDUCOM
NUPAD – Faculdade de Medicina
Smart Sense Laboratory
Synergia

Clique aqui para saber mais sobre os centros de pesquisa.

Confira mais depoimentos dos participantes: