Fundep

Hospital Risoleta Neves promove hackathon para soluções no Bloco Cirúrgico

Postado em Notícias da Fundep

No último final de semana, dias 16 e 17 de março, aconteceu a maratona de desenvolvimento para melhorar os processos no Hospital Risoleta Tolentino Neves (HRTN), que tem atendimento 100% SUS. Com a dinâmica inspirada em “hackathon” – termo conhecido para imersão de geração de ideias e soluções eficazes – o Hackabloco Risoleta reuniu mais de 40 pessoas, de diversos perfis, para pensar e desenvolver soluções a fim de gerar melhorias na logística do bloco cirúrgico do Hospital, diminuindo o número de cancelamentos de cirurgias agendadas.

Dentre os participantes estavam perfis das áreas da saúde, comunicação, gestão, desenvolvimento e design. Eles formaram oito times durante o hackathon e passaram 48 horas trabalhando nas soluções. Durante os dois dias, foram ministrados conteúdos de aplicação de tecnologia de logística para hospitais, cadeia de valor, validação de hipótese, MVP, prototipagem, modelagem de negócios e pitch para auxiliar na preparação dos participantes, bem como na formulação de suas ideias. Além disso, mais de 20 mentores estiveram presentes durante o evento para auxiliar na modelagem de negócio de cada uma das soluções propostas.

A solução premiada ao final do Hackathon auxilia no aumento da agilidade da comunicação interna do Hospital, diminuindo o tempo entre as atividades executadas.  A equipe é formada por Kaíque de Oliveira, Flávia Santos e Lucas Porto. Foi o primeiro Hackathon do Caíque, e ele aproveitou ao máximo. “Foi uma experiência incrível, uma montanha russa de sentimentos no final, mas valeu muito a pena. A gente espera que todas as outras ideias continuem sendo desenvolvidas para salvar vidas no Risoleta e em outros hospitais do Brasil”, diz. Flávia estuda a área de economia da saúde. “Fica bem evidente que a área que eu estou pesquisando, que é economia da saúde, tem fundamento, tem mercado e vamos continuar desenvolvendo”, conta.

Para a prof.ª Alzira Jorge, Diretora Geral do HRTN, a iniciativa trouxe uma possibilidade valiosa de desenvolvimento de soluções a partir de pessoas que não estão imersas na rotina do Hospital, e, portanto, estão com o processo criativo aberto a soluções ainda não pensadas pela equipe interna. “Nós já temos trabalhado várias soluções e a iniciativa de promover o hackathon resultou numa contribuição muito importante ao trazer diferentes estratégias, ainda não pensadas por nós. Tivemos várias propostas de implementação de soluções com a capacidade de articular as informações que nós temos no Hospital para pensarmos novas possibilidades de intervenção e aprimorar nosso atendimento”, explica.

Inovação Aberta

O Hackabloco Risoleta foi uma parceria entre Hospital Risoleta Neves e a Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa (Fundep), com metodologia Lemonade, laboratório de inovação da Fundação. “A Fundep apoia o estímulo à inovação aberta, processo que pretende levar novos fluxos e metodologias para gerar soluções dentro de empresas e organizações. No caso da saúde, é importante ressaltar que o Hackabloco Risoleta foi a primeira maratona de desenvolvimento de soluções de base tecnológica para um hospital de atendimento 100% SUS”, conta Bernardo Annonni, líder em inovação na Fundep. Para Rayza Resende, organizadora Lemonade do Hackabloco, foi uma experiência importante e inovadora, que buscou trazer soluções na área da saúde para um hospital cujo atendimento é 100% SUS. “O Hackabloco foi uma experiência única! Grande parte dos participantes estavam em seu primeiro Hackathon, e a maioria deles era da área da saúde, os times eram multidisciplinares e foi maravilhoso ver a evolução das ideias e os resultados alcançados”, comenta.