Fundep

Fundep e Fundepar no Fórum Nacional das agências de fomento

Postado em Notícias da Fundep
Prof. Alfredo Oliveira, presidente da Fundep, em apresentação no Confap

Belo Horizonte sedia a quarta edição do Fórum do Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap) de 2018. A Fundep e sua agência de inovação, Fundepar, apoiam a organização do evento, juntamente com a Fapemig, e integram a programação.

O evento reúne autoridades e representantes de instituições ligadas à ciência, tecnologia e inovação no país para discutir sobre o amparo à pesquisa no país. De acordo com o presidente da Fapemig, professor Evaldo Vilela, o Fórum ocorre em momento oportuno. “É hora de traçar planos e definir as estratégias para os próximos anos, com foco no desenvolvimento da CT&I em todo o País”, afirma.

Fundep e Fundepar

No dia 29/11, o presidente da Fundep, professor Alfredo Gontijo de Oliveira, ministrou a palestra ‘O papel atual das Fundações de Apoio’, compartilhando as experiências da Fundação com vistas a fortalecer o ecossistema de C,T&I. Também foram realizadas mesas redondas com agências nacionais e parceiros internacionais.

O professor Alfredo apresentou iniciativas como o BiotechTown – centro de bionegócios inovador em MG – e a agência de inovação da Fundep, a Fundepar, que também terá agenda especial no Confap, apresentando sua atuação no desenvolvimento de negócios de base acadêmica de alto impacto.

Inovação em MG

A Fapemig, ao lado do Confap, é responsável pela organização do evento, que tem a parceria da UFMG e da Fundep. Em sua fala, Evaldo Vilela, presidente da FAPEMIG, destacou o trabalho envolvendo o Marco Legal da CT&I e a iniciativa de criação de um Núcleo de Inovação Tecnológica (NIT) Central. Foi assinado Memorando de Entendimentos para criação desse NIT Central, que será sediado em Belo Horizonte e vai concentrar esforços para orientação de todas as unidades do Estado.

Autoridades

Entre as autoridades presentes, na cerimônia de abertura dia 28/11 na UFMG, estavam o ministro de Ciência Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTI), Gilberto Kassab, e a presidente do Confap, Maria Zaira Turchi, e a reitora da UFMG, professora Sandra Regina Goulart Almeida.

Em suas boas-vindas, a reitora Sandra ressaltou a importância da atuação das fundações de amparo e a necessidade de um trabalho conjunto com as instituições de ensino e pesquisa para a produção de ciência, tecnologia e inovação de qualidade. Segundo ela, o momento é de pensar em inovação de forma criativa. “Como patrimônio do estado, as universidades públicas são responsáveis por pesquisas e, assim, devemos fazer mais e melhor, sempre participando da construção do País”, defendeu.

A presidente do Confap, Maria Zaira Turchi, também presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás, destacou a luta do Conselho e das FAPs por mais desenvolvimento científico e tecnológico para os estados e o País. “Temos muito a comemorar, mas a luta pela consolidação de uma política de estado para a CT&I continua”. Segundo ela, é importante mostrar que CT&I não é despesa, mas sim investimento.

Programa Centelha

 

Na oportunidade de abertura do Confap foi dado início oficialmente ao Programa Centelha. A iniciativa tem como objetivo promover e dar suporte a novas startups, ideias e projetos empreendedores, especialmente em instituições de ensino e pesquisa. Ao todo, 21 estados tiveram propostas aprovadas na primeira rodada. Serão investidos cerca de R$50 milhões, entre recursos de subvenção e contrapartida dos parceiros estaduais. O projeto foi concebido de parceria entre MCTIC, Confap, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e Financiadora de Estudos e Projetos (Finep).

Segundo o secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação do MCTI, Maximiliano Salvadori, o programa é fruto de forte articulação institucional desde 2017. “Ainda que existam inúmeras iniciativas exitosas nos Estados, o governo federal ainda não possuía um programa nacional de apoio ao empreendedorismo de base tecnológica em estágio inicial”, destaca.

Com relação ao cenário de CT&I brasileiro, o ministro Gilberto Kassab destacou que as ações em Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil melhoraram muito nos últimos anos. “Hoje, infelizmente, os recursos são pequenos com relação às demandas, mas temos a convicção de que o solo é mais fértil”, afirmou. Para ele, o Brasil precisa chegar, o mais rápido possível, a um volume de recursos investidos, públicos ou privados, que some 2% do Produto Interno Bruto do País. “Esse deve ser o nosso objetivo. A perspectiva de um Brasil melhor é por meio da ciência”, explica.

Acompanhe aqui notícias do evento: http://confap.org.br/