Fundep

Festival de cultura, criatividade e conhecimento

Postado em Cursos e Eventos

O Festival de Verão da UFMG completa 12 edições com oficinas, palestras e eventos artísticos-culturais de 5 a 8 de fevereiro.

Com o tema Universos expandidos, o evento convida a população para refletir sobre como a produção do conhecimento expande a nossa existência e percepções. Essa abordagem envolve uma série de aspectos da vida humana e da natureza, relacionando a expansão do universo, do corpo, do intelecto, da mente, das identidades, das tecnologias, das matrizes culturais e também da produção artística.

As atividades propostas vão expandir os conhecimentos dos participantes nas mais distintas direções, como as da espiritualidade indígena, da escrita poética, das histórias em quadrinhos, das artes visuais, dos movimentos corporais de referência afro-brasileira, dos ciclos lunares e das coreografias possíveis sem o uso da visão. Uma das novidades da edição é uma residência criativa, exclusiva para crianças. Nela, “pesquisadores-mirins” de sete a 12 anos serão levados a percorrer a região Centro-sul de Belo Horizonte, de forma a investigar e inventar modos de cartografar os edifícios mantidos pela UFMG, como o Conservatório, a Escola de Arquitetura, o Centro Cultural, o Espaço do Conhecimento e a Escola de Medicina.

As atividades serão realizadas nos seguintes locais: Conservatório UFMG (Avenida Afonso Pena, nº 1534), Centro Cultural UFMG (Avenida Santos Dumont, nº 174), Espaço do Conhecimento UFMG (Praça da Liberdade), Campus Saúde UFMG (Av. Prof. Alfredo Balena, 190).

Organizado pela Diretoria de Ação Cultural (DAC) da UFMG, a Fundep é parceira de longa data e apoia algumas atividades da iniciativa.

Abertura

A abertura terá o show The Pulso in Chamas, dia 5 de fevereiro, 20h no Conservatório UFMG, com artistas queers, homens e mulheres, que performam a arte drag na cena LGBTQIA’s de BH.

Oficinas

Dez oficinas e uma residência criativa acontecerão durante o Festival, tratando como o conhecimento expande os mais diversos setores da vida. Nessa proposta, há atividades que abordam a questão da acessibilidade, como as oficinas Criação de material didático para práticas de musicalização para surdos, ministrada pelo músico Flávio Teixeira, e Olhando sem olhos, da professora e dançarina Anamaria Fernandes. A literatura também é contemplada, em atividades como a oficina A prática da letra e a experiência da palavra subtraída: o mundo, a loucura, o poema, realizada pelas professoras Janaína de Paula e Maraíza Labanca. E a expansão das etnias é tratada em atividades que contemplam os indígenas, como a oficina Espiritualidade indígena e bem viver, ministrada pela indígena, socióloga, especialista em gênero e raça e ensinos religiosos Avelin Buniacá Kambiwá.

Palestras, intervenção e exposição

O Conservatório da UFMG sedia as seis palestras do Festival com temas como transplante de órgãos, transmasculinidade, astrologia, física, teatro e saberes indígenas. O Campus Saúde recebe a intervenção O nada e várias atoíces, que tem concepção e curadoria de Ana Marthinica. E o Espaço do Conhecimento recebe a exposição A cidade como obra, com curadoria Brígida Campbell. No dia 8 de fevereiro, o Conservatório da UFMG recebe, a partir das 17h, mostrais finais com resultados de algumas oficinas e da residência criativa.

Inscrições
Programação completa e inscrições: www.ufmg.br/festivaldeverao