Fundep

Em novo formato

Postado em Notícias da Fundep

À medida que a gestão de projetos se torna mais complexa, a Fundep busca, por meio do aprimoramento de seus modelos de trabalho, responder com mais agilidade, competência e segurança. Exemplo disso é a criação de uma equipe dedicada exclusivamente ao gerenciamento de iniciativas financiadas pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig), sejam executadas pela UFMG ou outros parceiros.

“Ao compor um grupo de profissionais especializados e com maior conhecimento sobre as regras da Fapemig, podemos potencializar a atuação de nossos recursos humanos e ampliar a eficácia de nossos serviços, garantindo o atendimento às necessidades dos coordenadores e às exigências dos financiadores e órgãos de controle”, analisa o diretor de Desenvolvimento Institucional, professor João Furtado.

Ainda de acordo com ele, a mudança é oportuna devido ao grande volume de projetos que contam com recursos da Fundação de Amparo e são gerenciados pela Fundep, além de representar a evolução das relações entre as duas entidades. Atualmente, 47% das iniciativas que compõem a carteira da instituição se encaixam nessa categoria e estão submetidos às mesmas normas e regulamentos.

“As regras da Fapemig são bastante claras e objetivas, sendo registradas em um manual específico e também em seus editais, documentos que permanecem como referência para a Fundep. Tais características nos permitem agir de forma unificada, garantindo o tratamento igualitário às iniciativas que possuem o mesmo formato”, afirma a gerente de área da GAP, Eloiza Ferreira Aguiar.

De olho na excelência

A reestruturação é resultado de uma análise criteriosa do cenário atual da Fundação, considerando indicadores de desempenho e o dia a dia dos setores. Além de otimizar o trabalho, a formação de uma equipe especializada visa reduzir riscos e ampliar a satisfação dos parceiros.

Implantado gradualmente, de maneira a minimizar impactos nas atividades de gestão, o novo formato prevê que alguns coordenadores sejam atendidos por mais de um analista – um responsável pelos projetos Fapemig e outro profissional dedicado às iniciativas financiadas por outros órgãos de fomento.

“Nesse cenário, garantimos que o novo modelo propicie maior integração entre as equipes, aprofundando o intercâmbio de informações e a execução de tarefas conforme um mesmo padrão de qualidade”, antecipa o gerente da equipe, Roberto Teixeira Júnior. Segundo ele, também podem ser citados como possíveis ganhos maior controle da carteira de projetos e alto grau de padronização.

Ajustes

Para viabilizar a mudança, houve reorganização do quadro de profissionais e adequação do espaço físico. Além disso, a proposta foi apresentada à Fapemig e discutida com a alta direção e as áreas executivas.

Todas as equipes continuam vinculadas e subordinadas à Gerência de Área da GAP e o modelo de trabalho permanece inalterado, sem modificação de procedimentos ou fluxos. Por sua vez, as demais gerências, inclusive a Equipe de Projetos Externos (Epex), continuam a ter uma carteira com instituições de fomento diversificadas.