Fundep

Diante da tragédia de Brumadinho Hospital Risoleta Neves aciona plano de catástrofes

Postado em Projetos
Divulgação

O Hospital Risoleta Tolentino Neves (HRTN), administrado pela UFMG e gerenciado pela Fundep, acionou o seu protocolo de catástrofes para atender vítimas do rompimento da barragem de rejeitos da Mina Feijão, da Vale, em Brumadinho, ocorrido nesta sexta-feira, dia 25/01.

Entre outras medidas, o protocolo prevê a reavaliação de todos os pacientes com possibilidade de alta hospitalar para os casos de menor gravidade sem prejuízo ao atendimento. As equipes já estão em estado de alerta para o atendimento, com o quadro de funcionários em sua plenitude, inclusive com a convocação de profissionais em medida extraordinária.

O Hospital também conta com estoque de medicamentos e insumos revisado e em prontidão para fácil dispensação às equipes assistenciais. Essas medidas também se aplicam à maternidade.

De acordo com a direção do HRTN, essas providências foram tomadas em conjunto com outros hospitais de Belo Horizonte, de forma a fortalecer o trabalho em rede, já adotado atualmente na cidade, para o atendimento da população.

O HRTN funciona com capacidade instalada de 340 leitos distribuídos entre Pronto Socorro, CTI e enfermarias clínicas, cirúrgicas e maternidade. O hospital, localizado na região de Venda Nova, integra a grade de urgência e emergência de Belo Horizonte e eixo Norte da Região Metropolitana.

Resgates e desaparecidos (25/01 – 17h55)

Informações preliminares do Corpo de Bombeiros dão conta de que cerca de 200 pessoas estão desaparecidas e outras 100 vítimas foram resgatadas pelos oficiais da corporação. A barragem do Feijão tinha capacidade para receber 1 milhão de metros cúbicos de rejeitos de mineração.

Fonte: Assessoria de Comunicação do HRTN